A eleição do Botafogo e o que esperar de Durcésio Mello

0
189

No dia de ontem (24/11) estive na sede de General Severiano acompanhando o dia decisivo pro Botafogo: a eleição do clube. Durcesio Mello foi eleito presidente do Botafogo, com 477 votos dos 825 votos válidos contabilizados.

O processo eleitoral em General Severiano aconteceu com uma certa tranquilidade durante todo o dia, mesmo com a expectativa da promessa de protesto por parte da torcida, como também a notícia-crime por possível fraude realizada pelo clube contra a chapa “O Mais Tradicional”, comandada por Walmer Machado. Porém, mesmo assim, a eleição seguiu sem maiores confusões.

No total, Durcesio Mello recebeu 477 votos, com Walmer Machado ficando na segunda colocação, com 219 votos e Alexandro Leite ficando com a lanterna; com 124 votos. Brancos e nulos totalizaram cinco votos.

Durcésio é um empresário botafoguense de 65 anos, e contou com o apoio eleitoral do ex-presidente do Botafogo – Carlos Augusto Montenegro, amigo pessoal do novo presidente. Mello durante sua campanha teve como bandeira principal a “profissionalização” do clube.

Já no seu primeiro pronunciamento como novo presidente eleito do Botafogo, Mello fez questão de destacar as dificuldades que enfrentará em seu mandado, principalmente no que diz respeito a dívida do clube (estimada em R$ 1 bilhão) e também na transformação do clube em Sociedade Anônima – S/A.

Confira alguns trechos da primeira coletiva de Durcésio Mello como novo presidente do Botafogo:

“Acredito que a S/A está se encaminhando e que o torcedor do Botafogo poderá em breve se associar também. Estamos conversando com negociadores estrangeiros que ficariam com 51%. Os outros 49% ficariam com os torcedores como eu ou qualquer outro alvinegro. O modelo amador está matando o futebol brasileiro. O Botafogo tem a chance de ser uma S/A, precisamos aproveitar para ser campeão”, e completou:

“O Botafogo moderno é o Botafogo profissional. Com CEO, diretores, metas. Vamos começar amanhã com um “head Hunter” a busca por esse CEO. Também temos muitas pessoas boas aqui no Botafogo e iremos valorizar isso. A transformação, que eu falo, é com profissionalismo. Não prometemos cargos, porque acreditamos em uma gestão profissional”.

Confira algumas das promessas feitas por Durcesio Mello para o futuro do Botafogo:

Botafogo S/A

“ É fundamental. Espero que aconteça esse ano ainda, não sei se vai acontecer. É fundamental para o Botafogo, que vai ser o primeiro clube grande a ter esse modelo, que provavelmente vai ser seguido pelos outros. Uma S/A com investidores de fora tocando o clube, um plano estratégico é a solução para a gente voltar a disputar títulos. Do jeito que está, está difícil. Eu sempre falo que é S/A ou S/A. Não temos outra escolha. Todas as nossas verbas estão bloqueadas ou adiantadas, temos que sair atrás de dinheiro novo. Sou altamente favorável à S/A, é necessário”.

Dívida que chega perto do passivo de 1 bilhão de reais

“Primeiramente, a dívida toda passa a S/A. É simples. O Botafogo atual vai ficar com zero dívidas. A dívida toda hoje passará toda para a S/A, então o desafio é tocar um clube com uma receita, segundo o balanço do ano passado, de R$ 12 milhões anuais e uma despesa na casa de R$ 17 milhões. Temos que gerar receitas. Hoje, quando falta cloro na piscina é o futebol que banca. Isso vai acabar. Vamos gerar receitas novas e eu tenho novos projetos para isso”.


Projetos para aprimorar a sede de General Severiano

“Primeiramente é preciso revisar vários contratos que o Botafogo tem hoje. Não estou lá dentro então não tenho informações precisas, mas pelo o que eu vejo e li no balanço, o Shopping (Casa & Gourmet), por exemplo, não paga nada. O Fogo de Chão paga, isso é importante. A própria loja não tem material para vender. Precisamos trazer novas pessoas, mudar isso. E um extra é transformar General Severiano em um polo de entretenimento. Nosso medo é que existe muito sócio-proprietário que mora em outra cidade mas paga a mensalidade para ajudar o Botafogo. Tenho receio que essas pessoas possam deixar de pagar, nós temos que dar um carinho especial para eles não saírem. A mesma coisa para o sócio que frequenta a sede, ela está acabada. Temos que dar atrativos para mantê-los adimplentes e atrair novos sócios. Temos uma academia que está obsoleta, se terceirizar aquela academia e o sócio ter um desconto para malhar ali… Dá para transformar o campo da sede em dois campos de Society e alugar, depois essas pessoas vão comer e beber no bar do clube. Tem n coisas que podem ser feitas. Estou dando exemplos”

Falta de profissionalismo do clube em vários setores

“O amadorismo que temos no Botafogo é um modelo que não deu certo. Não só a S/A que trará profissionais competentes, mas quero implantar profissionalismo no Botafogo. Governança corporativa, plano de carreira para os funcionários, fazer um modelo mais transparente. A torcida reclama do programa de sócio-torcedor, mas a gente quer que eles fiquem com a gente. Temos que dar um serviço melhor. Hoje, o sócio passa uma dificuldade para pegar um ingresso, pagar mensalidade… É complicado. Temos que botar alguma empresa mais profissional, alguma coisa tem que ser feita para melhorar isso. Temos que contar com um serviço. Quando você vai em uma loja e não é bem-servido você não volta mais. O Botafogo tem que ser tratado como uma empresa que tem clientes para agradar, os sócios”.

Prioridade da gestão

“Tem algo no âmbito empresarial. No dia seguinte começar a implementação de governança coorporativa. Fazer o clube ficar gerido profissionalmente. No âmbito de logística ou infraestrutura, eu quero fazer a piscina do Mourisco Mar, que está fechada há quatro anos, mas não deve ser tão difícil reabrir aquela piscina. Isso é um compromisso meu. Assim que puder, quero reformar a piscina para o polo aquático poder voltar para lá, é a piscina mais bonita do mundo”.

Política envolvendo jogadores de base

“A S/A que terá controle sobre isso. Vão assumir uma dívida de quase 1 bilhão de reais em troca da receita de sócio-torcedor e de venda dos jogadores da base. É claro que o presidente do Botafogo terá uma cadeira no Conselho, não sei qual será o peso disso, mas sempre estarei por lá para as decisões de como gerir a marca Botafogo. Tem um valor e uma tradição danado, quase 5 milhões de torcedores. Tem que ser respeitada e tratada com carinho. Se a S/A não sair, teremos um Plano B para tocar o futebol, mas prefiro não pensar nisso agora”.

Patrocínios

“Do passado, em defesa da administração, tem que pensar que estava difícil conseguir isso. Tem vários clubes no Brasil sem patrocínio e alguns fecharam recentemente contratos por um valor bem abaixo. Alguns clubes mais organizados que o Botafogo até. Não posso me atrever em negociações. Essa é uma das causas do amadorismo que não colocou profissionais nessa área. O Botafogo é uma marca forte, clube com tradição e vitórias. Atrai, mas ninguém vai bater na porta oferecendo patrocínios”.

Times de basquete e vôlei e projetos para os esportes olímpicos

“Eu vou fazer, pode anotar. Vou fazer um basquete forte de novo, um vôlei forte de novo, o pólo aquático, a natação e o remo. A ideia é conseguir patrocínios ou lei de incentivo para bancar os esportes olímpicos. Como o clube vai estar com CNT, isso propicia a ir no Ministério dos Esportes para conseguir a lei de incentivos. É que nem o basquete e o vôlei tinham com a Tim, mas, como não havia o planejamento a longo prazo, não houve renovação. Você não monta um time de alto nível em um ou dois anos, mas tem que ir fortalecendo o time aos poucos para ser campeão, é preciso um planejamento estratégico. Não pode pensar apenas com uma verba de um ano”.

Futuro CT

“O CT foi todo pago pelos irmãos Moreira Salles. O CT é fundamental. Hoje, quem não tem uma base forte não vai para frente. Hoje, jogamos com vários atletas da base, Marcelo, Kanu, Caio Alexandre… Isso com uma estrutura arcaica. Com a estrutura de um dos melhores CTs do Brasil, a médio e longo prazo vamos formar jogadores ainda melhores. Formaremos ainda mais jogadores, vão dar alegrias dentro de campo e receitas em vendas”.

Relacionamento com os irmãos Moreira Salles?

“Pretendo me relacionar com eles da melhor maneira possível. Diria mais, resgatar a relação porque eles afastados por causa de política, não sei dizer ao certo. Eles são grandes botafoguenses, ajudam sempre o clube, e estão construindo o CT, que é o futuro do Botafogo. A base é o futuro do Botafogo. Eu quero ter o melhor relacionamento possível com eles. Já estive várias vezes com o Walter, então pretendo retomar esses contatos e saber o que precisa fazer para acabar o CT o mais rápido possível, talvez em dez meses ou um ano. Isso será uma nova fase na nossa vida”.

A torcida

“A torcida precisa de unir com a S/A. Se isso acontecer, tenho certeza que vamos voltar a gritar “é campeão” em breve. Terei um desafio enorme com o Botafogo social e os esportes olímpicos, não só para fazer o sócio-proprietário satisfeito e fazê-lo a voltar a frequentar o clube e também até o sócio-torcedor. Quero ter ligação com eles, trazê-los de algum jeito para as sedes. Uma das ideias que eu tenho é o sócio-torcedor pagar um pouco mais e poder frequentar também os jogos de basquete, vôlei de graça e os demais eventos de esportes olímpicos. É um desafio grande mas acho que estou preparado para encarar esse desafio e fazer um Botafogo novo, moderno, com muito profissionalismo e melhores benefícios para os sócios”.

FalaGlorioso.Club | Loja com mais de 100 Produtos do Botafogo. Acesse!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui