À espera de acerto com nova fornecedora, Botafogo desenha uniformes para 2022

0
59

Apesar de ainda não ter definido quem será a fornecedora de material esportivo para o ano que vem, o Botafogo já tem desenhado o uniforme de 2022. O atual contrato com a italiana Kappa termina em dezembro deste ano e o clube segue negociando para definir qual marca estará no lado direito do peito alvinegro para a próxima temporada.

Entre as empresas concorrentes, as conversas mais avançadas são com a brasileira Volt – que também é a fornecedora de Figueirense, América-MG, Santa Cruz, entre outros. Porém, há mais empresas no páreo, entre elas a própria Kappa, que é quem está à frente dos uniformes do clube desde o meio de 2019. Certo é que o clube não partirá para a marca própria na temporada que vem, visto que não haveria tempo hábil para a implementação.

A definição de quem será a fornecedora do Botafogo sairá ainda neste ano, já que o clube precisa colocar em ação o novo uniforme antes da estreia do masculino no Campeonato Carioca. O primeiro jogo da equipe principal em 2022 está previsto para o dia 23 de janeiro, penúltimo domingo do mês, quando encara o Boavista, fora de casa.

Por mais que ainda não tenha batido o martelo, o Botafogo não planeja que a fornecedora do ano que vem vá além de 2024, quando termina o mandato de Durcesio Mello. A atual diretoria sempre alegou que não pretende que os contratos assinados por uma gestão invadissem a administração seguinte.

Caso a marca escolhida não seja a Kappa, haverá ainda um processo de transição entre uma fornecedora e outra que deve acontecer nos primeiros meses do ano que vem. Se o profissional deve estrear no Estadual com o novo desenho que o clube projetou, independente da fornecedora – algo que já acontecia antes – isso seria atualizado gradativamente nas categorias de base e também no futebol feminino.

Uma das questões a serem resolvidas pelo Botafogo para 2022 é o funcionamento das lojas físicas. Após o sucesso da parceria online, um dos objetivos do clube é reestabelecer a operação de, no mínimo, duas lojas até março, segundo o Plano de Metas. Elas ficariam localizadas na sede de General Severiano e também no Estádio Nilton Santos. Em entrevista ao ge em outubro, o diretor de negócios do Botafogo, Lênin Franco, disse que a volta da loja física está diretamente relacionada à definição da fornecedora de 2022.

– O desenrolar da loja física está muito atrelado ao desenrolar do fornecedor de material esportivo. Porque existem formatos diferentes e modelos de negócio. Têm modelos de negócio que a marca fornece mas não opera a loja, aí você tem que ter um terceiro. Se for esse modelo precisa abrir concorrência para interessados nessa questão, que é mais demorado. Tem modelo que a própria marca opera a loja – se a gente for por esse caminho, vai ter momento em que a própria marca assume imediatamente – e tem o modelo que se fosse de marca própria o clube iria operar a loja, se quisesse, para aumentar ainda mais a receita. Mas a loja vai estar inteiramente ligada à resolução do material esportivo.

Fonte: ge

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui