Análise: Botafogo ganha opções com reforços caseiros em melhor momento na temporada

0
43

A boa fase coletiva do Botafogo abre caminho para evoluções individuais que aumentam o leque de opções do técnico Enderson Moreira. Na quarta vitória seguida na Série B, o elenco dá mais provas de que ganhou alternativas, mesmo sem novas contratações.

A maior prova está no segundo gol, que decretou a vitória sobre a Ponte Preta do último domingo. Warley começou a boa jogada pela direita e cruzou na medida para Rafael Moura, que guardou de cabeça. Dois jogadores que chegaram a receber críticas nos primeiros jogos, mas ganharam ritmo e aumentaram o rendimento junto do restante do time.

No ataque, Warley aparece como boa opção em um momento delicado. Ronald, antigo titular, está fora de combate. Marco Antônio, meia, foi deslocado para a ponta e mostrou que também pode fazer a função. Deixa o ex-lateral para manter o gás no segundo tempo.

Cenário parecido acontece no meio de campo, onde Barreto surgiu como competição para Oyama, que ainda é visto como titular pela torcida, mas corre para recuperar a posição. Na defesa, Mezenga deu conta do recado mesmo aos 19 anos, e Carli, finalmente, reestreou pelo clube, para a alegria dos alvinegros.

Junto dos resultados, esses sinais do elenco dão esperanças de um segundo turno mais consistente para manter o time na primeira posição. Além de tranquilidade ao clube, que freia a urgência de ir ao mercado na tentativa de fazer o time reagir.

Tempos opostos

O gol contra que abriu o placar foi um alento para o Botafogo no primeiro tempo. Foram raras as vezes em que o time conseguiu achar espaços na defesa da Ponte Preta, que colocou uma última linha com cinco jogadores na frente da área e se fechou bem. Para azar dos visitantes, a estratégia foi por água abaixo com a falha de Kevin, que deu a vantagem no placar de presente.

Faltou ao Bota mais participação dos volantes e movimentação no ataque para produzir com a maior posse de bola. Chay ficou solitário na hora de pensar as jogadas. Até achou bons passes, mas jogou um pouco longe do gol adversário para construir. A equipe saiu para o intervalo com três finalizações, todas erradas.

O que faltou no primeiro tempo, sobrou no segundo. O time teve mais presença ofensiva, sufocou a Ponte e venceu com justiça. O gol de Rafael Moura, quase nos acréscimos, decretou uma vitória que poderia ter vindo antes pelas chances criadas. O número de finalizações mostra a diferença: na etapa inicial, ficou em 6 a 3 para o adversário. Ao fim dos 90 minutos, terminou em 11 a 9 para o Bota.

– Conseguimos ajustar detalhes, fizemos um segundo tempo qualificado e criamos situações. Fizemos o segundo gol, mas poderíamos ter feito antes pelas chances criadas. Demos poucas oportunidades no segundo tempo. Fico feliz com nosso desempenho. Conseguimos adaptações para encaixar melhor o nosso jogo – analisou o técnico Enderson Moreira.

Com quatro vitórias seguidas, o Bota subiu para o oitavo lugar e está perto de alcançar o G-4. O time soma 25 pontos, apenas dois a menos do que o quarto colocado, o Avaí. Para tentar manter a arrancada, os alvinegros voltam a campo na quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), fora de casa, contra o Operário.

Fonte: ge

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui