Barroca critica planejamento e lamenta derrota do Botafogo: “Falar pouco e sentir muito”

0
70
barroca

A derrota de virada para o Atlético-GO (3 a 1) foi mais um balde de água fria nas inúmeras tentativas de reação do Botafogo. O time alvinegro não ficou nem cinco minutos à frente no placar depois do gol de Babi e sofreu a virada. Com 23 pontos, a equipe dirigida por Eduardo Barroca segue na lanterna e cada dia mais longe do sonho de permanecer na primeira divisão.

São nove pontos atrás do Fortaleza, o primeiro fora da zona de rebaixamento, que entra em campo nesta quinta-feira contra o Santos, em casa. O próximo jogo do Botafogo é no domingo, contra o Fluminense, em São Januário, às 20h30.

– Nenhuma equipe está na situação como a que nos encontramos nesse momento por um único motivo. Esse momento é de falar pouco e sentir muito. Honrar a camisa do clube, trabalhar muito todos os dias, passo a passo, dia a dia para que a gente possa já no próximo jogo reverter esse cenário, que desportivamente é extremamente adverso. Nesse momento não tem muito o que falar – disse Barroca.

Ao mesmo tempo em que elogiou a nova direção do Botafogo, que já o garantiu até o fim do Brasileiro, Barroca comentou a indefinição para o futuro. O presidente Durcesio Mello tem preferência por manter o técnico, mas aguarda o diretor de futebol para bater o martelo. O treinador disse entender que nenhuma garantia pode resistir à sequência de maus resultados. 

– Eu estou no futebol há muito tempo e sei como as coisas funcionam relacionadas a treinador e resultado, mas preciso deixar claro que o presidente Durcesio, o Vinicius, todos estão dando condições pra gente trabalhar. Eu ouvi dizer essa semana sobre desequilíbrio financeiro do Botafogo, isso não é real, hoje o clube honra os compromissos com funcionários e jogadores, temos todas as condições de trabalhar. Estou vendo o empenho do presidente para construir algo com coerência para o futuro, me identifico com a forma como isso está sendo construído. 

– Minha ligação com o Botafogo nunca vai ser só profissional, também tenho uma ligação afetiva, estou incomodado com o que a gente vive, mas vejo um futuro bom diante do que está sendo trabalhado, sem precipitação, com cobranças e pautando decisões em critérios claros. Vejo um futuro interessante mesmo diante do atual cenário. Espero que possamos reverter no curto prazo – comentou o treinador.

O treinador do Botafogo elogiou o Atlético-GO, clube no qual trabalhou em 2020, e comparou o planejamento do adversário com o grupo que comanda. Disse que é preciso “ter ciência e frontalidade para reconhecer que o Atlético-GO foi desportivamente montado de forma mais coerente, de forma muito mais equilibrada”. 

– Vive momento bom, porque isso foi construído desde o início. Posso falar isso porque estive lá até bem pouco tempo. Então, tenho que dar os méritos ao adversário – afirmou o comandante, que reforçou a necessidade de seguir com “todas as cobranças internas” dentro do clube.

Eduardo Barroca cabisbaixo na derrota do Botafogo para o Atlético-GO — Foto: André Durão/ge 

Barrocar lembrou ainda que, nos sete jogos em que comandou o time – nos dois primeiros ficou fora por ter Covid-19 -, não conseguiu entregar resultados. 

– Nenhum índice coletivo foi favorável a gente. Em nenhum dos sete jogos a gente levou vantagem para o intervalo. Levamos gol nos sete jogos que disputamos. Tirando jogo com o Coritiba, quando as substituições fizeram alguma diferença, os outros seis jogos sempre que substituímos a equipe perdeu, sofreu gols. Então existe desequilíbrio desportivo muito claro. E coletivo também. Hoje tivemos diversas oportunidades, saímos na frente, sofremos o gol imediatamente com superioridade numérica na área. A gente também tem sofrido muitos gols nessa situação. Precisamos corrigir e evitar.

Esta foi a quinta derrota consecutiva do Botafogo no Campeonato Brasileiro. O time chegou a abrir o placar no Nilton Santos, mas sofreu o empate três minutos depois. O Atlético-GO fechou o placar em 3 a 1 aos 46 do segundo tempo.

Outras declarações de Barroca:

Psicológico

– O principal, sem sombra de dúvida, é o lado mental. Você sai na frente de um jogo equilibrado e logo depois sofre um gol. Evidente que a gente se desequilibra mentalmente, com a necessidade que temos do resultado. E o Atlético, com mérito, aproveitou essa situação e fez o segundo gol. A gente ainda teve oportunidades muito claras, mas não tivemos competência e perdemos um jogo que era muito importante para a gente, dentro de casa, para que a gente reerguesse. 

Mudanças na formação do ataque

– Comecei jogando no 4-3-3, em que eu usava dois atacantes mais no segundo tempo, o time não estava conseguindo o equilíbrio. Contra o Vasco, fiz a tentativa de três jogadores de mais velocidade atrás do Pedro Raul, também não conseguimos resposta coletiva. Nos dois últimos jogos, optei por jogar com dois centroavantes pra conseguirmos ter peso na área e, infelizmente, os resultados não estão acontecendo – lamentou Barroca.

Matheus Nascimento

– Eu conheço o Matheus Nascimento porque trabalhei na base e tenho envolvimento profundo com as seleções de base, me comunico sempre com todos os treinadores. O Matheus vinha jogando no sub-20 pelo lado direito, é um jogador que tem boa velocidade, que joga muito bem flutuando, acho que fez boa partida enquanto teve condições físicas, fez bastante ataque às costas. A minha ideia era ter mais um jogador com ambição de gol para que a gente ampliasse esses números que estão concentrados em Pedro Raul e Babi.

Time sofre muitos gols

– Não existe um único sinal que a gente precisa focar pra sair desse cenário, são diversos cenários que estão contra a gente, além dessa situação dos gols sofridos quando a gente saiu na frente, a gente não consegue levar vantagem pro intervalo. É uma característica do meu trabalho cobrar dos jogadores para começar o jogo intensamente para sair na frente e levar a vantagem do trabalho, mas não estamos conseguindo. Na minha visão não convém nenhuma discussão de individualidade, porque os sinais coletivos são adversos. Precisamos resolver os problemas coletivamente, não vou transferir responsabilidade pra ninguém. Precisamos encontrar as soluções aqui dentro.

Fonte: ge

FalaGlorioso.Club | Loja com mais de 100 Produtos do Botafogo. Acesse!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui