1968: BOTAFOGO CAMPEÃO BRASILEIRO DE FUTEBOL

1
376
1968: BOTAFOGO CAMPEÃO BRASILEIRO DE FUTEBOL
TAÇA BRASIL COM A FAIXA, DIPLOMA E RÉPLICA DA TAÇA DE CAMPEÃO BRASILEIRO ENTREGUES PELA CBF

O Botafogo é o único clube carioca que conquistou a Taça Brasil, a mais importante competição de futebol entre os clubes brasileiros até o surgimento do Campeonato Nacional no ano de 1971, instituído pela antiga Confederação Brasileira de Desportos.

Disputada por todos os campeões estaduais, a Taça Brasil proporcionava aos clubes campeões e vice-campeões a indicação para representarem o futebol brasileiro na Taça Libertadores da América.

Com a criação do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, a Taça Brasil foi disputada pela última vez em 1968 e o Botafogo, que já participara das edições de 1961, 1962 e 1967, na condição de Campeão Carioca de Futebol, mais uma vez qualificou-se com a conquista do certame carioca em 9 de junho de 1968, ao vencer o Vasco da Gama por 4×0 na partida final.

Na sua estreia no certame nacional, em 5/12/68, o Glorioso jogando no Maracanã, goleou o Metropol, de Criciúma (SC), que vencera a chave Sul do torneio, por 6×1. A equipe dirigida por Zagalo formou com Cao, Moreira, Zé Carlos, Dimas e Valtencir; Carlos Roberto e Gérson (Afonsinho); Rogério, Roberto (Ferreti), Humberto e Paulo César. Os gols botafoguenses foram assinalados por Humberto, aos 17 minutos, Paulo César, aos 34, Rogério, aos 46. Na segunda etapa, Afonsinho, marcou aos 21 minutos, Ferreti, aos 30 e aos 37 minutos e Nilzo assinalou para o Metropol aos 42 minutos.

Em 8 de dezembro de 1968, a partida de volta foi realizada no estádio Heriberto Hulse, em Criciúma, com o placar final de 1×0, gol de Toninho aos 9 minutos do segundo tempo, após acirrada disputa entre as duas equipes, que redundou na expulsão de Afonsinho, pelo Botafogo. Ortunho e Joel, do Criciúma, também foram expulsos. O Alvinegro atuou com Cao, Moreira, Zé Carlos (Paulistinha), Dimas e Valtencir; Afonsinho e Carlos Roberto; Zequinha, Humberto (Lula), Ferreti e Paulo César.

Equipe que atuou em Criciúma. A partir da esquerda, em pé: Moreira, Cao, Zé Carlos, Dimas Carlos Roberto e Valtencir; agachados: Zequinha, Afonsinho, Ferreti, Humberto e Paulo César.

A terceira partida deveria ter sido disputada dois dias depois, 10 de dezembro, também em Criciúma. Todavia, o árbitro Airton Vieira de Morais havia carregado na súmula e o confronto foi adiado.

Como o regulamento do certame determinava que o decisivo terceiro jogo deveria ser disputado no estádio do Metropol, a data escolhida pela CBD levaria a uma partida noturna e o estádio Heriberto Hulse não tinha refletores, o regulamento teve que ser alterado, invertendo-se o mando de campo.

Na noite de 2 de abril de 1969 seria realizada a partida decisiva em General Severiano. Todavia, caiu um temporal no Rio de Janeiro e o árbitro Armando Marques, julgando impraticável o gramado, suspendeu a partida aos 14 minutos do segundo tempo, quando o placar estava em 1×1, tendo Rogério inaugurado o placar aos 29 minutos e Leocádio empatou aos 37 da primeira etapa. O Botafogo formou com: Ubirajara, Moreira, Zé Carlos (Chiquinho), Leônidas e Botinha; Carlos Roberto e Nei Conceição; Rogério, Humberto, Ferreti e Lula.

Estádio de General Severiano

Os dirigentes do Metropol não quiseram esperar pela definição de uma nova data, retornaram a Santa Catarina e posteriormente oficializaram a desistência de prosseguir na competição.

O Botafogo estava classificado para enfrentar o Cruzeiro (MG) na fase semifinal e no primeiro confronto, realizado em 23/8/1969, no Mineirão, o Glorioso venceu por 1×0, gol de Ferreti, aos 35 minutos do segundo tempo, atuando com Ubirajara, Moreira, Zé Carlos (Moisés), Leônidas e Valtencir; Carlos Roberto e Afonsinho; Zequinha (Iroldo), Roberto, Ferreti e Torino.

As duas equipes estiveram desfalcadas de jogadores servindo à Seleção Brasileira, no caso alvinegro, Jairzinho e Paulo César. O time mineiro perdeu uma invencibilidade de oito meses (38 partidas).

Na segunda disputa pela fase semifinal, realizada no Maracanã em 28/8/1969, o atacante Palhinha abriu a contagem para o Cruzeiro aos 6 minutos de jogo, mas Roberto assinalou o gol de empate aos 39 minutos da segunda etapa. O Clube da Estrela Solitária jogou com Ubirajara, Moreira, Zé Carlos, Leônidas e Valtencir; Carlos Roberto e Afonsinho; Zequinha, Ferreti (Humberto), Roberto e Torino (Iroldo). Roberto e o zagueiro Fontana foram expulsos por se agredirem.

Dessa forma, o Botafogo estava classificado para decidir o título contra o Fortaleza, que eliminara o Náutico.

A primeira partida da final foi disputada no Estádio Presidente Vargas, na capital cearense na quarta-feira, 03/9/1969. As coisas não começaram bem para a equipe dirigida pelo treinador Zagalo, tendo o Fortaleza feito 2×0, gols do atacante Erandir e do meio-campo Joãozinho. Ferreti marcou dois gols, decretando o empate em 2×2.

O Botafogo jogou com Ubirajara, Moreira, Zé Carlos (Moisés), Leônidas e Valtencir; Carlos Roberto e Afonsinho; Zequinha (Rogério), Humberto, Ferreti e Torino.

Chegou o dia da final da Taça Brasil de 1968. Era o sábado, 04/10/1969 e o Maracanã recebeu a torcida botafoguense, esperançosa em alcançar o seu primeiro título nacional.

Atuando muito bem e não deixando margem de dúvida acerca de sua superioridade, o time de General Severiano goleou o Fortaleza por 4×0.

O primeiro gol surgiu aos 10 minutos de jogo, quando o lateral-esquerdo Valtencir foi à linha de fundo, cruzou rasteiro e Roberto, meio desequilibrado, empurrou a bola ao fundo das redes. No segundo tempo, o Botafogo ampliou a vantagem aos 8 minutos, quando Ferreti marcou, de cabeça, aproveitando um corner cobrado por Paulo César.

O terceiro tento alvinegro foi marcado aos 20 minutos, após uma tabela entre Roberto e Afonsinho, este último driblou o goleiro e chutou a gol.

Aos 33 minutos do segundo tempo, Ferreti recebeu a bola livre na área e na saída do goleiro do time cearense assinalou o quarto e último gol da vitória botafoguense.

1968: BOTAFOGO CAMPEÃO BRASILEIRO
Ferreti marca o quarto gol

BOTAFOGO CAMPEÃO!

O Botafogo jogou com Cao, Moreira, Chiquinho (Leônidas), Moisés e Valtencir; Carlos Roberto (Nei Conceição) e Afonsinho; Rogério, Roberto, Ferreti e Paulo César.

A torcida botafoguense iniciou a comemoração e o capitão Afonsinho ergueu a Taça Brasil, o primeiro Campeonato Brasileiro do Botafogo.

1968: BOTAFOGO CAMPEÃO BRASILEIRO
AFONSINHO ERGUENDO A TAÇA BRASIL

A campanha botafoguense teve 3 vitórias, 3 empates e 1 derrota. Total: 7 jogos.

Jogaram: Carlos Roberto, Ferreti, Moreira e Afonsinho, 7 jogos; Zé Carlos, Valtencir e Humberto, 6 jogos; Leônidas, 5 jogos; Roberto, Ubirajara, Zequinha e Rogério, 4 jogos; Paulo César, Cao, Moisés e Torino, 3 jogos; Dimas,  Nei Conceição, Chiquinho e Iroldo, 2 jogos; Gérson, Paulistinha, Lula e Botinha, 1 jogo. Total: 24 jogadores.

Artilheiros: Ferreti, 7 gols; Afonsinho e Roberto, 2; Humberto, Paulo César, Rogério e Roberto, 1 gol cada. Total: 15 gols.

Luiz Felipe Carneiro de Miranda
Grande Benemérito, Historiador e Curador do Centro de Memória do Botafogo de Futebol e Regatas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui