Botafogo já teme rebaixamento e decidirá futuro de Autuori daqui a pouco

Após novo tropeço, contra o Bahia, no Engenhão, Alvinegro está em 19º

0
45

A sequência de resultados ruins no Brasileiro já acendeu a luz vermelha no Botafogo. Até algumas semanas atrás, a equipe apostava que a falta de sorte logo passaria e que a recuperação viria a curto prazo. Mas não é o que se tem visto. Em 19º lugar na competição, o clube vive sob a apreensão de um novo rebaixamento, ameaça presente no imaginário de seus torcedores e dirigentes. Temem pelo que já ocorreu em 2002 e 2014.

Isso se acentuou nessa quarta (30), com a derrota para o então lanterninha do Brasileiro – perdeu para o Bahia por 2 a 1, no Rio. Por tudo isso, a situação do técnico Paulo Autuori ficou bastante delicada. Em que pese seu prestígio no Botafogo, desde que comandou o time na campanha do título nacional de 1995, ele corre sério risco de ser afastado do cargo.

Botafogo, do goleiro Gatito, já flerta com o rebaixamento no Brasileiro (Foto: Divulgação/Vitor Silva/BFR)
Botafogo, do goleiro Gatito, já flerta com o rebaixamento no Brasileiro (Foto: Divulgação/Vitor Silva/BFR) Foto: Gazeta Esportiva

A torcida alvinegra tem protestado contra dirigentes, atletas e comissão técnica e promete novas manifestações. Na manhã de domingo (4), o Botafogo vai enfrentar o Fluminense, no Engenhão, pela 13ª rodada do Brasileiro, e seu jogadores certamente vão estar com os nervos à flor da pele. Até agora, em 12 partidas, o Alvinegro só venceu uma vez, empatando oito e perdendo três.

Em 2002, quando de sua primeira queda para a Série B, o Botafogo venceu apenas seis jogos em 26 – na época, o Brasileiro ainda era disputado no modelo antigo, com primeira fase, quartas de final, semifinal e final. Durante aquela trajetória, teve quatro treinadores: Arthur Bernardes, Abel Braga, Ivo Wortmann e Carlos Alberto Torres.

Em 2014, o golpe também foi intenso, pois em 2013 o clube havia disputado a Libertadores após 18 anos de ausência. Em 37 partidas, perdeu 22. O segundo rebaixamento veio em meio à invasão da torcida em treinos, contratações malfeitas e acúmulos de salários atrasados.

Fonte: Terra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui