Botafogo supera toda a bilheteria do Brasileirão de 2019 com o valor ganho contra o Operário, na Série B

0
63

Botafogo não sabia há muito tempo o que era sair com uma quantia considerável “no bolso” pela renda de uma partida no Estádio Nilton Santos. O clube conseguiu fazê-lo na vitória contra o Operário, na última segunda-feira, quando saiu no verde por R$ 580.110,83. O valor é maior do que tudo que o clube ganhou no Brasileirão de 2019.

A missão não é difícil, vale ressaltar: o Alvinegro teve um prejuízo milionário com bilheteria no Campeonato Brasileiro de dois anos atrás – o último com a “participação completa” dos torcedores antes da pandemia – e praticamente pagou para atuar no Estádio Nilton Santos.

O clube, à época presidido por Nelson Mufarrej, teve, ao todo, um prejuízo de R$ 1.421.040,81 com os jogos como mandante. Apenas três partidas deram lucro, incluindo uma contra o Palmeiras que teve o mando vendido para o Mané Garrincha, em Brasília, e o Alvinegro embolsou R$ 650 mil de cota fixa.

Em 2021, apenas dois jogos deram lucro: o próprio duelo contra o Operário e a partida anterior, diante do Confiança. Todos os outros com o retorno do público – a reportagem não leva em conta jogos com portões fechados por uma questão de igualdade no julgamento – deram prejuízo, mas a conta fecha no verde mesmo assim.

O valor líquido de R$ R$ 580.110,83, inclusive, é o maior que o clube embolsou em uma única partida desde a Libertadores de 2018, quando o Estádio Nilton Santos teve uma ocupação acima de 85% em todos os jogos.

A questão passa pela mudança de postura do Botafogo quanto à questão operacional do estádio. A diretoria do clube não resolveu abrir todos os setores, diminuindo custos de segurança, roletas e entradas. O resultado é que o Alvinegro leva mais da renda gerada por ingressos para casa. O duelo contra o Guarani, no dia 28, seguirá no mesmo ritmo.

PÚBLICO E RENDA DO BOTAFOGO NO BRASILEIRÃO 2019

​1 x 1 Ceará (25.900 presentes) -> -R$ 123.327,55
0 x 1 Internacional (30.596 presentes) -> -R$ 70.154,90
1 x 0 Corinthians (22.548 presentes) -> -R$ 153.505,44
2 x 0 Avaí (19.075 presentes) -> -R$ 142.687,41
0 x 1 Flamengo (23.092 presentes) -> -R$ 123.310,35
0 x 2 Cruzeiro (22.412 presentes) -> -R$ 99.976,09
2 x 1 CSA (18.199 presentes) -> -R$ 79.386,86
3 x 1 Goiás (5.574 presentes) -> -R$ 222.380,06
0 x 1 Fluminense (12.404 presentes) -> -R$ 158.319,01
1 x 2 São Paulo (18.471 presentes) -> +R$ 18.549,82
2 x 1 Atlético-MG (12.098 presentes) -> -R$ 147.038,30
0 x 0 Chapecoense (8.241 presentes) -> -R$ 153.880,83
2 x 1 Athletico (7.992 presentes) -> -R$ 184.544,75
0 x 1 Santos (16.248 presentes) -> -R$ 6.201,90
0 x 1 Grêmio (17.757 presentes) -> -R$ 104.092,88
1 x 0 Vasco (19.503 presentes) -> +R$ 66.511,77
0 x 1 Palmeiras (Mané Garrincha) (33.143 presentes) -> +R$ 650.000,00
1 x 0 Fortaleza (13.749 presentes) -> -R$ 170.921,74
3 x 2 Bahia (7.568 presentes) -> -R$ 216.374,36

Total: -R$ 1.421.040,81
Média de público por jogo: 17.608

Contra o Operário, 25.584 torcedores estiveram presentes no Estádio Nilton Santos. Os dois últimos jogos do Botafogo em casa no Brasileirão de 2019 tiveram um público superior e, mesmo assim, geraram prejuízo aos cofres.

Fonte: Lance!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui