Cavalieri entra na fase final de recuperação, mas concorrência interna dificulta volta ao Botafogo

0
46

O empate em 1 a 1 com o Palmeiras, no dia 2 de fevereiro deste ano, pela 33ª rodada do Brasileirão 2020, pode ter sido o último jogo de Diego Cavalieri com a camisa do Botafogo. Em recuperação de lesão no tornozelo direito há mais de seis meses, o goleiro está na fase final da transição, mas, mesmo com a retorno próximo de acontecer, a percepção dentro do departamento do futebol alvinegro é de que será difícil o veterano vencer a concorrência interna pela posição.

Cavalieri teve uma torção no pé direito diante do Palmeiras, mas a lesão não parecia tão grave como se revelou mais tarde. Em maio, o goleiro passou a treinar com o grupo, mas sentiu desconforto no local e não voltou mais aos treinos. O problema se trata de sequela de uma lesão antiga do jogador, que já sofreu com o mesmo pé em 2013, quando ainda atuava pelo Fluminense e revelou ter uma pequena fratura no calcanhar.

Nos últimos meses, o goleiro voltou ao processo de transição, que consiste em trabalho no campo (separadamente do elenco), academia e fisioterapia. A expectativa é que ele fique à disposição do técnico Enderson Moreira em breve.

O Botafogo perdeu Cavalieri em um momento delicado, em que já não podia contar com Gatito Fernandez havia mais de quatro meses. Sem os dois goleiros experientes, o clube deu espaço para o jovem Diego Loureiro e foi ao mercado contratar Douglas Borges. Os dois disputaram a posição nos últimos meses, mas o cria da base passou na frente e, apesar da oscilação em alguns jogos, assumiu a titularidade e foi um destaque positivo do time no primeiro turno da Série B.

O cenário dificulta a volta de Cavalieri aos gramados como titular do Botafogo. Além da readaptação que o goleiro vai enfrentar, o clube avalia positivamente o desempenho de Loureiro. No início da temporada, a diretoria cogitou, inclusive, um acordo para a saída do veterano, mas a lesão impediu conversas nesse sentido. O vínculo do atleta, que tem um dos maiores salários do elenco, se encerra ao fim deste ano.

A experiência do goleiro não é descartada pelo clube, que montou um time com muitos jovens para essa temporada. Em 2020, Cavalieri assumiu a vaga de Gatito, lesionado desde setembro do ano passado, e se destacou com a camisa alvinegra, vestindo também a braçadeira de capitão. Com 40 jogos pelo Botafogo, o jogador é referência para os mais novos do elenco.

No momento em que Cavalieri dá passos finais rumo à recuperação, Gatito também iniciou nova fase no tratamento na último semana. Em transição, o goleiro vive expectativa para voltar a atuar no próximo mês. O Botafogo aguarda o retorno do paraguaio para conversar sobre uma possível renovação, já que seu contrato também termina em dezembro de 2021.

Fonte: ge

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui