CBF é contra público em jogo do Cruzeiro, e STJD não tem data pra julgar recurso

    0
    31

    A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) evita se manifestar publicamente sobre a liminar obtida pelo Cruzeiro que permite a presença de público na partida contra o Confiança (SE), na sexta-feira (20), às 21h30 (de Brasília), no Mineirão, pela 20ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. A entidade, contudo, é contrária à ida de torcedores em competições com a sua chancela.

    A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) evita se manifestar publicamente sobre a liminar obtida pelo Cruzeiro que permite a presença de público na partida contra o Confiança (SE), na sexta-feira (20), às 21h30 (de Brasília), no Mineirão, pela 20ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. A entidade, contudo, é contrária à ida de torcedores em competições com a sua chancela.https://fd604d065ecf1dc03966eb8d9f30f1f9.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

    Depois de os mineiros obterem a tutela de urgência com parecer positivo no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), a CBF tenta recurso para impedir que haja público nos jogos de seus campeonatos – Brasileirão (todas as séries) e Copa do Brasil. Entretanto, o julgamento no pleno do STJD ainda não tem data prevista, conforme apurado pelo Super.FC.

    A entidade divulgou, há dois dias, um protocolo para retorno da torcida aos estádios. De acordo com o documento, a taxa de normalidade é o que definirá a porcentagem máxima de público nos locais. Este índice leva em consideração dados como transmissão da covid-19, tendência de novos casos, mortalidade e percentual de vacinação em cada estado. O número pode variar entre 10% e 75% da capacidade total das arenas. A permissão ainda dependerá das autoridades sanitárias locais.

    Em que pese a tentativa da CBF de impedir a presença de público em jogos do Cruzeiro como mandante, o clube já iniciou a comercialização de entradas para o jogo contra o Confiança. Os ingressos custarão entre R$ 70 e R$ 150.

    Fonte: O Tempo

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui