Chamusca diz que dificuldade do Botafogo ocorreu por postura do Nova Iguaçu: “Jogou por uma bola”

0
717

Marcelo Chamusca avaliou que a dificuldade encontrada pelo Botafogo no Nilton Santos teve como principal causa a postura do Nova Iguaçu. Neste domingo, ao vencer por 1 a 0, em uma partida na qual sofreu com a marcação adversária, o time alvinegro conquistou classificação para a final da Taça Rio – o Vasco será o adversário. 

– A dificuldade em construir as jogadas passa pela postura do adversário, que jogou com bloco baixo e por uma bola. É difícil isso. Tivemos muita posse, talvez tivemos o melhor perde e pressiona hoje. No segundo tempo, eles finalizaram cinco vezes sempre por lateral ou escanteio. É o terceiro jogo que não sofremos gol. O objetivo hoje era vazar o adversário e classificar. O objetivo foi alcançado – disse Chamusca.

A Ferj marcou as datas da final da Taça Rio. No próximo domingo (16/05), as equipes se enfrentam às 11h05 no Nilton Santos. No sábado (22), às 15h, o confronto ocorre em São Januário. 

Mais repostas de Chamusca

Pedro Castro

– Eu acho que ele rende nas duas posições. Na pergunta você enalteceu uma infiltração que ele fez por dentro e uma finalização na trave. E a posição do Pedro, hoje pedimos para ele ficar mais próximo do Matheus porque o adversário estava com dez homens atrás da linha da bola. Então na hora da construção não tinha necessidade de ter o Pedro perto do Romildo e do Frizzo. Em alguns momentos ele até vem receber uma bola no espaço, mas por esse poder de finalização, ele tem essa liberdade de criar mais. 

– Ele não fez o gol por mudar de posição. Até po

Reforços

– Temos trabalhado com o nosso departamento de futebol, estamos analisando possibilidades. Existe uma questão que é muito inerente ao momento. Estamos entrando na fase final de alguns campeonatos estaduais. Então, dificilmente você vai conseguir trazer jogadores que estão em outras equipes disputando campeonatos. Temos várias tratativas, várias possibilidades, temos mapeado as características que precisamos, principalmente para a Série B. 

– Temos trabalhado para conseguir, mas agora é mais difícil, porque nenhum time vai liberar um atleta estando em uma semifinal ou estando em final dentro de um campeonato estadual. Vão chegar reforços em posições que entendemos que precisamos, mas tudo isto com o máximo de inteligência. Vamos procurar ser o mais assertivos possível. 

Cesinha fora do banco e escolha por Marcinho

– Foi opção técnica. Nós escolhemos os jogadores por aquilo que eles desenvolveram ao longo da semana. A não vinda do Cesinha foi uma opção técnica. Até porque tínhamos no banco jogadores que poderiam fazer essa função, no caso o Ricardinho podendo fazer a mesma função. Sendo que o Ricardinho tem um nível de maturidade mais alto. Tem uma bola parada também. 

– A escolha do Marcinho entrar no jogo foi porque o Nascimento está com dificuldade de sustentar a bola um pouco mais na frente. Quando colocamos o Navarro e o Nascimento, a ideia era que continuássemos a construir as jogadas pelo lado. A partir do momento que fizemos o gol, a ideia era ter um atacante central, com poder de reposição maior. Não queríamos recompor com volante, e o Marcinho se encaixa nessas qualidades. Ele tem tido dificuldades, precisa melhorar do ponto de vista técnico, mas é um jogador que entrega, que trabalha. Por já ter trabalhado com ele, sabemos o que pode proporcionar.

– E a escolha por ele foi pela parte tática. Por isso ele foi escolhido. Mas eu concordo que ele precisa melhorar e estamos trabalhando para isto. Ele foi infeliz e tem consciência disso. Tomou dois cartões. E passamos por dificuldades depois de termos o jogo controlado. Mas o atleta está aí. A função do treinador é tentar melhorar o atleta. É um jogador que tem potencial e que pode melhorar. 

Reforços que chegaram

– Todos os jogadores que foram contratados pelo Botafogo são jogadores do Botafogo. Não foram contratados e são de fulano, de beltrano. Não tem jogador do Chamusca. Primeiro que eu não sou empresário de futebol. Eu sou treinador. Aqueles jogadores que vieram e trabalharam comigo em algum clube, eles foram analisados e passaram por todos os protocolos de análise que o clube faz. Como os jogadores que foram contratados antes da minha contratação. Então não tem jogador A ou B, todos os jogadores são jogadores do Botafogo. 

– E procuramos escolher os melhores, analisando o adversário, analisando o plano de jogo que vamos utilizar. Isso é muito importante que fique claro. Não existe jogador A ou B, existem jogadores do Botafogo que passaram pelo crivo do Botafogo, que podem até não estar performando, mas o trabalho é fazer com que eles melhorem, pois todos eles têm um currículo muito bom.

Necessidade de melhora

– Sim, o Botafogo está trabalhando para evoluir e começar a competição daqui 20 dias em um nível muito melhor do que apresentou em algum momento e vem apresentando. Mas tem uma frase que eu utilizo: cada preocupação ao seu momento. Eu preciso pensar no próximo jogo, no próximo adversário. Hoje enfrentamos um adversário que fez 180 minutos praticamente com o time atrás da linha da bola e com uma fidelidade tática, marcando. Um time muito bem organizado, não foi por acaso que chegaram nesse nível de disputa. Vamos enfrentar adversários que vão nos atacar e vamos também atacá-los. Talvez nesses jogos, possamos ter um desenvolvimento melhor. 

– Então, não existe receita de bola. Futebol não é matemática exata, mas acho que evoluímos pressão após perda do adversário, nesses dois jogos proporcionamos poucas chances ao nosso adversário. Se você pegar o número de gols sofridos no ano, são poucos gols. Nossa defesa é a melhor do campeonato. Nosso time precisa melhorar na fase ofensiva, mas conseguimos equilibrar. E até o início da Série B, vamos estar com uma equipe muito mais entrosada, muito mais consistente, em condições de competir. Mas nesse momento vamos pensar no primeiro jogo da Série B, mas no momento vamos pensar no próximo jogo, que é contra o Vasco.

Série B

– Eu acho que na Série B vamos ter jogos onde o adversário vai jogar muito mais. Vai propor muito mais e vai nos atacar muito mais que o Nova Iguaçu nos atacou. Consequentemente, vamos ter mais espaços e a tendência é que a gente consiga qualificar mais o jogo. 

Jogadores não relacionados

– Os jogadores que não vêm sendo relacionados não fazem parte nem do Carioca e nem do Brasileiro. São jogadores que estão em disponibilidade para que outros clubes venham e possam contratar. E vão seguir a carreira em outros clubes. É algo natural que acontece. Existe e existia uma cobrança muito grande por reformulação. E ela está sendo feita em todos os aspectos. E esses jogadores não fazem parte do nosso processo. E o clube vem tentando emprestar, tentando que eles sigam. São bons profissionais, mas não fazem parte do planejamento para a sequência da temporada. 

Análise do jogo

– O Nova Iguaçu fez cinco finalizações. O Botafogo fez 12. Tivemos quase 60% de posse de bola. Nosso goleiro só foi encostar na bola quase aos 40 do segundo tempo, quando estávamos com um jogador a menos, em algumas situações de bola parada. O Botafogo é a melhor defesa da competição. Nos últimos três jogos não tomamos gols. Onde é que está a nossa fragilidade defensiva? E a ofensiva, vamos precisar melhorar. Mas enfrentamos um adversário que teve postura tática muito boa e jogou os dois jogos quase 180 minutos com 10 jogadores atrás da linha da bola. E isso dificultou muito o nosso jogo.

Equilíbrio na competição

– Se você olhar os confrontos que aconteceram nas duas situações, e quem jogou a semifinal e a Taça Rio, você vai ver que houve um equilíbrio muito grande nos jogos. Exemplo, o Madureira ganhou o primeiro jogo do Vasco e ontem perdeu por 2 a 1 tomando gol depois dos 30 do segundo tempo. É uma referência importante para nós, porque vamos enfrentar, e vai disputar a mesma competição que nós. O Fluminense empatou o primeiro jogo e hoje se eu não me engano ganhou de 3 a 1, mas com dificuldade nos dois jogos para sobrepor a Portuguesa. 

– A única equipe que conseguiu ganhar os dois jogos com maior imposição foi o Flamengo. Então, não é fácil você jogar contra o Nova Iguaçu, não é fácil jogar contra a Portuguesa, contra o Madureira, que dificultam o jogo e que em determinados momentos fazem você perder a paciência de trabalhar a bola. Mas o Botafogo teve muito controle do jogo e foi muito merecedor dos resultados.

Fonte: ge

CLIQUE, ASSISTA, SE INSCREVA E DEIXE SEU LIKE!

FalaGlorioso.Club | Loja com mais de 100 Produtos do Botafogo. Acesse!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui