Chamusca fica no cargo e garante: “O que o Botafogo mais precisa tem, que é caráter dos jogadores”

0
69

Em jogo eletrizante e com três gols de Chay, o Botafogo empatou com o Cruzeiro em 3 a 3 neste sábado (10) pela 11ª rodada da Série B do Brasileirão 2021. No Nilton Santos, o time da casa ia sofrendo sua segunda virada seguida na competição, mas conseguiu deixar tudo igual e somar um ponto com uma penalidade a favor já aos 48 do segundo tempo.

Pressionado já há algumas rodadas pelo desempenho da equipe e consequentes resultados, o técnico Marcelo Chamusca permanece no Glorioso e concedeu coletiva. Entrevista, inclusive, que gerou muita curiosidade para a torcida, pois demorou mais que o habitual para iniciar e levantou a possibilidade de o comandante ter sido demitido no vestiário, o que não ocorreu.

Com o sistema defensivo criticado contra a Raposa depois de um gol contra e um pênalti bem marcado para os mineiros, Chamusca concordou com a necessidade de melhoria na defesa.

“A melhor forma de a gente tentar corrigir e melhorar o sistema defensivo é com análise, com o somatório de várias situações. A gente vai ter uma semana para poder trabalhar um pouco melhor. O Botafogo em pouquíssimos jogos tomou três gols como tomamos hoje, sob o meu comando principalmente. Então, o meu foco vai ser a gente resgatar, melhorar, voltar a ter um melhor sistema defensivo nos próximos jogos, para que a gente possa suplantar a vantagem que hoje conseguiu colocar duas vezes no placar”.

Sobre a saída do jovem zagueiro David Souza para o Cercle Brugge, da Bélgica, e a necessidade de recompor o elenco no setor, o treinador garantiu que a torcida verá uma novidade em breve.

“Nós já começamos a buscar no mercado a partir do momento em que se oficializou a saída do Sousa. Com certeza, no início da próxima semana, já deve ter alguma novidade em relação a isso. A gente tem mesmo uma necessidade, uma carência hoje e precisa fortalecer o setor, até pela ausência do Gilvan no próximo jogo (suspensão pelo terceiro cartão amarelo)”.

Já quanto à situação com a diretoria do clube, Chamusca afirmou ter o apoio interno e estar focado na recuperação no campeonato, mesmo foco de seus jogadores.

“O Freeland (diretor de futebol) está sempre aqui acompanhando o nosso trabalho e sempre me deu todo apoio, sempre confiou não só no meu trabalho, mas de toda a comissão técnica. Mas eu acredito que a gente pode melhorar. O Botafogo é um clube gigante, que precisa ter melhores resultados, estar em cima brigando o tempo todo na tabela, e é isso que a gente vai trabalhar para conseguir. Eu acredito muito não só no meu trabalho, acredito também no trabalho que está sendo feito pela diretoria. E nós vamos seguir firmes e determinados porque tem muita coisa positiva, e a gente vai tentar tirar o máximo possível dessas coisas positivas, principalmente dentro do vestiário, com caráter e indignação dos atletas pelo momento que nós estamos vivendo”, enfatizou.

Questionado sobre o acesso à primeira divisão, o comandante deixou claro que o campeonato está apenas no início e que o Botafogo possui totais condições de subir no fim do ano.

“O cenário ruim não é do clube, é do time. O clube tem procurado fazer a sua parte, tem tentado, dentro da condição que a diretoria tem, dar o melhor para os jogadores e a comissão técnica. Eu acredito que o Botafogo tem toda condição de continuar brigando, crescer na tabela de competição. Muitos times que acabam, em determinados momentos, dentro do G-4 da competição ao final às vezes não conseguem ter o acesso. Então é uma competição, extremamente, nivelada e equilibrada. Hoje estamos a quatro pontos do G-4. Eu, por exemplo, tive nessa competição vários exemplos no Ceará. Tem muito campeonato ainda, água para passar debaixo da ponte, vai ter muito jogo, o Botafogo vai crescer, vai se fortalecer. O que o Botafogo mais precisa tem hoje aqui, que é caráter dos jogadores para que, quando oscila como foi agora, eles chegarem indignados no vestiário e tentarem melhorar”, concluiu.

Autor do hat trick da partida, Chay saiu de campo feliz pelo tento, mas insatisfeito com o resultado do Glorioso.

“Individualmente, é uma marca muito bacana para a minha carreira. Mas, coletivamente, é um resultado muito ruim para o Botafogo. A gente sai na frente no resultado e, mais uma vez, cede o empate, cede a virada e corre atrás, mostra a garra que a gente tem. Mas continuamos com alguns vacilos ali na hora de atenção, e aí é muito complicado. Mas a gente tem que continuar trabalhando forte para ter mais atenção nesses momentos”, alerta.

O próximo compromisso do Glorioso, em décimo lugar com 13 pontos, a quatro do G-4, é fora de casa contra o Brusque no sábado (17) às 19h, pela 12ª rodada.

Fonte: VaVel

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui