Clubes perdem 270 mil sócios-torcedores na pandemia; saiba quanto o Bota perdeu

0
333

Os grandes clubes brasileiros perderam 270 mil sócios-torcedores desde o início da pandemia de coronavírus. É o que aponta um levantamento feito pelo blog com 14 times nacionais. Isso representa 31% do total de associados que esses clubes tinham antes da chegada da covid ao Brasil.

Foram incluídos no levantamento Atlético-MG, Bahia, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Ceará, Fortaleza, Flamengo, Fluminense, Grêmio, Internacional, Santos, São Paulo e Vasco. Entre os maiores programas de sócio do país, o Palmeiras se recusa a divulgar os dados do seu número de associados e, por isso, não foi incluído na lista.

Os programas de sócios-torcedores cresceram nos últimos anos e se tornaram uma renda relevante dentro dos orçamentos dos clubes. São alavancados por vantagens nas compras de ingressos para jogos. Por isso, são considerados por especialistas como receitas de matchday, ou seja, vinculadas à partida.

A consultoria EY calculou que as receitas de matchday representavam quase R$ 1 bilhão em receitas entre os principais clubes em 2019, antes da pandemia. Isso incluía sócio-torcedor e bilheteria.

A partir de final de março de 2020, o futebol foi paralisado por conta da chegada da pandemia de coronavírus no Brasil. Seu retorno se deu sem público três meses depois. Ou seja, os clubes não têm torcedores nos estádios há pouco mais de um ano.

Naquela data, antes da pandemia, os 14 clubes somavam 860 mil membros em seus programas de sócio-torcedor. Agora, são 590 mil. É importante dizer que os números de cada clube não são comparáveis entre si porque cada projeto é bem diferente: nem todos informam quantos são os sócios ativos e os valores cobrados são diversos.

No início de 2020, o líder era o Vasco com 179 mil membros após uma campanha massiva de associação feita no final de 2019 para recuperação do clube. Foi também o clube com a maior queda. Atualmente, tem 74.570 sócios.

Mas o Vasco segue como o segundo clube com maior número de membros atrás do Internacional. O clube colorado informava ter 100 mil sócios no início desse ano, embora não tenha ficado claro quantos desses são ativos. Não foi possível confirmar essa informação. A agremiação teve uma queda de 20 mil sócios durante a pandemia.

Já o Grêmio caiu de 90 mil sócios para 70 mil. Ressalte-se que a queda de receita gremista foi em torno de R$ 10 milhões neste item, isto é, só um oitavo do total.

Entre os outros clubes, o Flamengo teve um tombo considerável no número de associados. Eram 125 mil antes da pandemia e agora são 58 mil. O programa rubro-negro é um dos mais centrados em benefícios com ingressos já que o Maracanã tem seus lugares disputados em jogos mais relevantes.

Segunda maior torcida, o Corinthians também teve uma queda de 68 mil associados para 20 mil: perdeu mais de dois terços dos membros. Clubes como Bahia e Fortaleza também sentiram impactos pois tinham programas fortemente ligados à presença no estádio. O Palmeiras não informa o número de associados, mas teve uma queda de 25% no número total.

Houve, sim, clubes que tiveram aumento de sócios. Mas são casos em que houve reformulação do programa durante o período. Foi assim com Fluminense e Atlético-MG. O Galo mais do que dobrou seu número de associados durante o período.

Há um terceiro grupo que manteve o número estável ou com queda pequena, casos do Santos, Ceará e Botafogo.

Como os balanços de todos os clubes ainda não foram publicados, ainda não é possível avaliar o impacto financeiro para os clubes dessa debandada de sócios. Veja abaixo a lista de sócios:

Atlético-MG — Início de 2020 – 20 mil / Abril de 2021 – 52 mil

Bahia — Início de 2020 – 45 mil / Abril de 2021 – 23 mil

Botafogo — Início de 2020 – 25 mil / Abril de 2021 – 21 mil

Ceará – Início de 2020 – 21 mil / Abril de 2021 – 22 mil

Corinthians — Início de 2020 – 68 mil / Abril de 2021 – 20 mil

Cruzeiro — Início de 2020 – 58 mil / Abril de 2021 – 53 mil

Flamengo — Início de 2020 – 125 mil / Abril de 2021 – 58 mil

Fluminense — Início de 2020 – 23 mil / Abril de 2021 – 32 mil

Fortaleza — Início de 2020 – 35 mil / Abril de 2021 – 13 mil

Grêmio — Início de 2020 – 90 mil / Abril de 2021 – 70 mil

Internacional* – Início de 2020 – 120 mil / Abril de 2021 – 100 mil

Palmeiras – Não informa os números por política do clube.

Santos — Início de 2020 – 22 mil / Abril de 2021 – 20 mil

São Paulo — Início de 2020 – 28.500 / Abril de 2021 – 30 mil

Vasco — Início de 2020 – 179 mil / Abril de 2021 – 75 mil

*O Internacional não detalhou se os 100 mil atuais estão ativos ou se há inadimplentes.

** Fontes (apuração com os próprios clubes, sites UOL, GE, O Tempo, ESPN e Diário do Nordeste)

*** Números arredondados

Fonte: UOL

FalaGlorioso.Club | Loja com mais de 100 Produtos do Botafogo. Acesse!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui