Da euforia ao lamento: Confira os melhores momentos da passagem de Honda pelo Botafogo

0
172

Chegou ao fim a curta passagem do japonês Keisuke Honda pelo Botafogo. Na segunda, o meia pediu para deixar o Alvinegro antes do fim do Brasileirão e alegou querer ficar mais próximo da família. Com uma proposta do Portimonense, de Portugal, o atleta irá sair no momento em que o clube luta para deixar a zona de rebaixamento na reta final do campeonato. Confira os melhores momentos do jogador com a camisa do Glorioso.

Aerohonda – No início de fevereiro, o japonês foi recebido pela torcida do Botafogo no aeroporto do Galeão. Com muita festa e ao som do hino do clube, o meio-campista chegou com status de craque mundial e trouxe muita euforia para a temporada do Glorioso.

Apresentação e calor da torcida – Em torno de 13 mil botafoguenses foram ao estádio Nilton Santos acompanhar de perto a apresentação de Honda. Com direito a foto ao lado do ídolo Jairzinho, esta foi a única vez em que o meio-campista sentiu o calor da torcida no estádio, já que a partir de março o novo coronavírus se espalhou pelo Brasil.

Estreia com gol – No dia 15 de março, a pandemia batia a porta do Brasil e o estádio Nilton Santos estava sem a presença do público. O japonês demorou apenas 28 minutos para marcar o seu primeiro gol com a camisa do Botafogo. De pênalti, ele balançou as redes no empate por 1 a 1 com o Bangu, pela terceira rodada da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca.

Primeiro clássico – Em julho, o japonês entrou em campo pela semifinal da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca, diante do Fluminense. Esse foi o primeiro clássico do meio-campista com a camisa Alvinegra. Vale destacar quer a partida terminou 0 a 0, no estádio Nilton Santos.

Eliminação do Carioca – Nessa mesma partida, diante do Fluminense, no estádio Nilton Santos, o Botafogo foi eliminado do Campeonato Carioca, ao ficar no empate por 0 a 0 e não conseguir a classificação para a final da Taça Rio (segundo turno do estadual). Após dar adeus ao Carioca, o meia criticou publicamente o confuso regulamento da competição.

Estreia no Brasileirão – Já que o confronto diante do Bahia pela primeira rodada do Brasileirão foi adiado, o Botafogo estreou no campeonato contra o RB Bragantino, fora de casa. Foi a estreia também de Honda na competição mais importante do futebol brasileiro.

Duelos contra o Vasco – Pela terceira fase da Copa do Brasil, o Botafogo teve pela frente dois clássicos contra o Gigante da Colina. Apesar do jogo truncado e de baixa qualidade técnica, Honda foi um dos destaques dos confrontos, com muita qualidade.

Segundo gol – Em meio à uma campanha irregular do Botafogo, Honda marcou o seu segundo gol com a camisa do Glorioso diante do Sport, na Ilha do Retiro. Após falha do goleiro Luan Polli, que saiu jogando errado, o meia dominou e chutou colocado, marcando um golaço na vitória do time sobre o Leão por 2 a 1.

O adeus à Copa do Brasil – Após avançar às oitavas de finais da competição nacional, o time de General Severiano enfrentou o Cuiabá, até então, líder da série B. No duelo de ida, no Nilton Santos, Matheus Barbosa aproveitou o erro de passe de Honda, e bateu no canto para marcar o gol da vitória da equipe sul-mato-grossense. No jogo de volta, o 0 a 0 na Arena Pantanal sacramentou a eliminação do Alvinegro.

Terceiro e último gol – No dia 31 de outubro, Honda marcou o seu terceiro e último gol com a camisa do Botafogo diante do Ceará, no estádio do Nilton Santos. Mais uma vez de pênalti, como no primeiro gol, o japonês foi tranquilo para a bola e bateu com categoria. A partida, válida pela 19ª rodada do Brasileirão, terminou empatada.

Um encontro inusitado – Após a contratação de Honda, o Botafogo apostou em mais um reforço diferente para os padrões brasileiros. Trata-se do marfinense Salomon Kalou, de 35 anos. Com passagem por clubes como Chelsea e Hertha Berlim, o atacante chegou ao clube em agosto e encontrou o japonês.

Simpático e Cidadão – Fora de campo, Honda sempre esbanjou simpatia, cidadania e consciência do seu papel como atleta. Desde sua chegada, ele sempre deixou claro que gostaria de ajudar as crianças através do futebol e que deseja mudar o mundo. Com isso, ele conquistou a simpatia dos torcedores de maneira geral.

Jogos contra o rival – Diante do Flamengo, Honda jogou em duas oportunidades. No primeiro turno do Brasileirão, a equipes empataram e o japonês assumiu que não jogou bem em sua rede social. Na derrota, no returno, após ter reclamado da saída de Ramón Díaz, o atleta afirmou, na ocasião, que não deixaria o Botafogo.

Papel social – No dia dos pais, o japonês anunciou que iria sortear R$ 500 por dia até o final do ano para uma pessoa. Além disso, ele abriu uma escola online no Japão para crianças e adolescentes entre 12 e 18 anos com a mensalidade e 1 dólar (R$ 5,40, na cotação atual) por mês. O atleta também possui ações sociais voltadas para educação no Camboja.

Honda, desde que chegou ao Botafogo, utilizou suas redes sociais para se pronunciar sobre diversos assuntos importantes no mundo. Desde política e economia à desigualdade e crise no momento da pandemia, o jogador nunca de furtou de se posicionar. Um desses momentos foi quando o atleta saudou os profissionais de saúde durante a pandemia: “Aos médicos, enfermeiros e todos os trabalhadores da saúde: Nós estamos saudáveis e felizes porque vocês estão indo muito bem. Obrigado! Peço desculpas porque não posso fazer mais por vocês, mas meu coração está com vocês.”, disse.

Produtos licenciados – Em novembro, o Botafogo anunciou o lançamento de uma almofada em homenagem ao meia japonês em parceria com a loja “Só Ídolos”.

Insatisfação e atrito – Após a saída do técnico argentino Ramón Díaz, que foi contratado, mas se quer chegou a estrear devido à problemas de saúdade, o japonês chegou a dizer que cogitava sair do clube. ele desabafou em sua rede social e afirmou: “Vou pensar em sair se não me convencerem”.

Conversa interna – Diante da insatisfação pública do jogador, a diretoria do Botafogo conversou com o atleta, aparou as arestas, mas o incômodo persistiu. Internamente, a atitude do atleta de ter se pronunciado publicamente antes de ter uma conversa dentro do clube não foi bem recebida por membros da direção do Glorioso.

Pediu para sair – Com contrato até o fim do campeonato, o japonês Keisuke Honda pediu para deixar o clube na última segunda. insatisfeito com o que acontece no Glorioso dentro e fora de campo, o jogador alegou que deseja ficar mais próximo da família e tem uma proposta de um clube da Europa (Portimonense, de Portugal).

Os números de Honda – Nesta curta passagem pelo Botafogo, o japonês disputou 27 partidas e marcou 3 gols. Ele fez bons jogos, mas longe de ser brilhante e decisivo como o holandês Clarence Seedorf. Contudo, fora de campo, o meia esbanjou simpatia, cidadania e consciência do seu papel na sociedade.

Fonte: Lance!

FalaGlorioso.Club | Loja com mais de 100 Produtos do Botafogo. Acesse!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui