Do xerife ao meio-campo com Honda: certezas e desafios para Paulo Autuori no Botafogo

0
1845

Paulo Autuori foi o nome escolhido para encontrar o rumo do Botafogo em 2020. Se o desempenho abaixo da crítica no início do ano deixou a equipe fora das semifinais da Taça Guanabara, ao menos deu ao novo treinador a oportunidade de conhecer o grupo já com foco na Copa do Brasil.

E quais são os desafios de Autuori até a estreia na quarta-feira, 21h30 (de Brasília), contra o Náutico? Baseado nos cinco jogos da equipe principal até aqui (o Botafogo começou o Carioca com time alternativo), o GloboEsporte.com destacou os pilares de confiança no elenco alvinegro e dissecou os setores com necessidade de encaixe.

AS CERTEZAS

GATITO FERNÁNDEZ

Sinônimo de segurança. Na quarta temporada com a camisa alvinegra, o goleiro foi peça importante na classificação contra o Caxias, na Copa do Brasil, e evitou desastre maior diante do Fluminense. Liderança dentro e fora de campo.

MARCELO BENEVENUTO

Aos 24 anos, assumiu papel de referência do setor defensivo do Botafogo. Virou o xerife em campo, cargo antes ocupado por Carli. Sem ser espetacular, mas com muita regularidade, o zagueiro é intocável na formação inicial da equipe. Foi destaque contra Resende, pela Guanabara, e Caxias.

BRUNO NAZÁRIO

Dos 13 reforços para a temporada, é um dos que deu resposta mais imediata. Titular nos cinco jogos com Valentim, marcou dois gols e foi o responsável pela criação no meio-campo.

PEDRO RAUL

Ganhou a posição. Camisa 9 de ofício, mas com qualidade para participar da construção das jogadas, o atacante de 23 anos marcou três gols – um deles o da classificação na Copa do Brasil – e mostrou oportunismo, algo que faltou ao clube durante 2019.

OS DESAFIOS

Autuori chega com a missão de dar equilíbrio pelos lados. A maior urgência é ter nos laterais uma segurança defensiva, o que até agora o Botafogo não conseguiu.

Na direita, Fernando até aqui seguiu a sina de 2019 e oscilou. Barrandeguy, apenas no início da trajetória no Alvinegro, mostrou estar fora de ritmo no clássico contra o Fluminense – tem no período sem jogos a chance para achar a forma ideal. Marcinho segue em recuperação após cirurgia no joelho-direito.

Na esquerda, Guilherme Santos foi mal. Espaços na defesa e pouco ajuda no setor ofensivo. Ficou marcado por erro de passe em contra-ataque contra o Caxias, que poderia matar o jogo. Danilo Barcelos, por sua vez, ganha na qualidade com a bola no pé, mas terminou o jogo contra o Fluminense como um dos piores em campo.

O MEIO PARA HONDA

Maior contratação da temporada, Keisuke Honda aguarda o visto para entrar em campo. A missão de Paulo Autuori, que conhece de perto o futebol do jogador, é montar um setor com espaço para o japonês ao lado de Bruno Nazário, sem esquecer da proteção à zaga.
Num meio-campo com três jogadores, Honda e Nazário, num primeiro momento, dividiriam a criação e alternariam momentos na linha mais recuada. Mas o desafio passa pela escolha do primeiro homem. Alex Santana, Bochecha, Caio Alexandre, Cícero e Thiaguinho são opções.

Numa formação com quatro jogadores no meio, Honda e Nazário teriam mais liberdade. Sem nomes de confiança com características defensivas, Autuori daria mais consistência povoando o setor.

Último reforço apresentado, “Loco” Cortez ainda precisa chegar ao condicionamento físico ideal. O meia pode se encaixar na função de Honda – ou até mesmo com o japonês em campo, como ele mesmo prefere -, mas isso forçaria uma mudança no jogo de Nazário.

PARCERIA PARA PEDRO RAUL

A escolha do esquema de meio-campo define o ataque, que tem em Pedro Raul o camisa 9. Com mais um ou dois jogadores no setor, o fato é que o nome de Luis Henrique aparece na frente. Mesmo com oscilação, natural pela idade, o garoto tem velocidade e o um contra um para quebrar linhas.

Após 2019 ruim, Luiz Fernando precisa de um ano de afirmação. Até agora, sem grandes jogos na temporada. Porém, na situação de momento, o atacante entraria num esquema com três homens de frente.

Algumas peças que jogam pelos lados correm por fora para chamar a atenção de Autuori: o peruano Alexander Lecaros, que ainda não teve oportunidades, Rhuan e Lucas Campos.

Fonte: Globo.com


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui