Enderson explica primeira derrota do Botafogo sob seu comando: “Nos equivocamos nas decisões”

0
30

O Botafogo de Enderson Moreira conheceu a primeira derrota sob o comando do treinador ao perder para o Operário por 1 a 0. Após cinco partidas, foi a primeira vez que a equipe sofreu um gol na Série B desde que ele assumiu como técnico, contra o Confiança. De acordo com Enderson, em entrevista coletiva virtual realizada após o jogo, o time até criou chances, mas errou em algumas tomadas de decisões.

– É difícil a gente falar de alguma situação. No segundo tempo eles abaixaram as linhas, ficaram mais dentro do próprio campo e a gente teve algumas boas oportunidades de chegadas pelo lado e acabou que a gente se equivocou um pouco na tomada de decisão. Às vezes faltou atravessar a bola com um pouco mais de força entre a linha defensiva e o goleiro para a gente poder tocar. E o gramado foi encharcando também. Com a chuva constante ficou mais difícil e mais lento. Não conseguíamos trocar passe com tanta velocidade.

– Claro que tem o aspecto de ansiedade também. Você tá perdendo um jogo e começa a querer acelerar um pouquinho, e acaba que você comete erros. A gente buscou até o fim. Criamos ótimas situações. Infelizmente a gente acabou sofrendo o gol e a derrota. A gente sabia muito bem que jogar aqui e em desvantagem é sempre muito complicado porque eles têm uma coisa de picar mais o jogo, tentar evitar que o jogo tenha uma sequência. Mas não dá para ficar lamentando. O que precisamos agora é levantar rapidamente e já preparar para a próxima partida.

O técnico comentou também sobre a arbitragem não ter marcado pênalti no lance que a bola bate no braço do jogador do Operário. De acordo com o técnico do Botafogo, após a cabeçada de Gilvan, a sensação do banco de reservas da equipe era de que a bola tinha tocado claramente no braço do adversário.

– A gente não tem controle sobre essas questões, é difícil poder falar. Da posição que eu estava, a gente teve a noção clara que a bola pegou no braço do jogador. Às vezes a gente tem o VAR e ainda tem situações equivocadas. Acho que a gente merecia o resultado diferente, criou situações, a gente precisava estar mais concentrado para aproveitar melhor essas oportunidades. A gente não tem que ficar lamentando, sabemos que o time tem muito a crescer. Temos a expectativa de entrar no G-4, mas tem muito campeonato pela frente e espero voltar a vencer e pontuar já no domingo.

O Botafogo volta a campo no próximo domingo. Com o resultado desta noite, o Botafogo caiu duas posições e agora está em 10º com 25 pontos, a quatro do G-4. A próxima partida será contra o lanterna Brasil de Pelotas, domingo, às 18h30 (de Brasília), pela 18ª rodada da Série B no Nilton Santos.

Confira outras respostas do treinador:

Pedro Castro

– É um jogador com qualidade técnica para fazer a função, não é um meia nato, acho que deu a consistência que pedimos. Quando se perde a gente vê detalhes pra buscar explicar o que aconteceu. Eu prefiro ver as coisas de uma maneira muito clara, a gente fez um jogo para poder vencer, o goleiro deles fez pelo menos umas três, quatro ótimas intervenções.

– A gente controlou bem, e no fim eles tiveram umas chances mais claras até porque a gente se jogou mais pra frente. Dentro do que a gente tinha como possibilidade, a gente tentou fazer bem, não acho que tenha sido algum problema de construção, porque criamos boas possibilidades.

Guilherme Santos

– A gente tem que perceber quando o jogador sai um pouco da linha da competitividade e se exalte. Eu não vi o que aconteceu, mas vi que o Guilherme ficou bem exaltado. Quando o jogador perde um pouco do controle, a gente tem que ter cuidado, porque não podemos arriscar perder um atleta principalmente num jogo difícil como hoje. Definimos tirá-lo para ele se acalmar também, não é maldade nem nada, é porque o jogador quer muito vencer, achei por bem não arriscarmos perder um atleta na segunda etapa.

Bola aérea no segundo tempo

– O jogo vai criando característica diferente com chuva, em determinado momento criam-se poças d’água e fica difícil fazer o jogo pelo chão. Acho que a gente conseguiu chegar ao fundo com boas possibilidades, a tomada de decisão poderia ter sido melhor, mas era o caminho que tínhamos, às vezes você tem que tentar de todas as formas.https://1434af9a99fa2f869b21412ed920f929.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

– Não é que abrimos mão do jogo apoiado, mas é que estava mais difícil construir por dentro. O adversário criou um bloqueio maior, abaixou as linhas, os espaços ficaram menores. Tentei colocar jogadores com mais argumentos técnicos para ter jogadas de aproximação, mas estava mais complicado. A gente lutou até o fim para buscar o gol, mas infelizmente não foi possível. Agora é nos preparar para a próxima partida.

Fonte: ge

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui