Eu e aquela camisa

0
265

Nao sou um sujeito supersticioso, de peripercias como aquelas de Carlito Rocha, Joao Saldanha e muitos torcedores alvinegros ao redor do globo. Meu unico ato digamos de superstiçao foi me livrar de um certo manto, um presente que visualmente era bonito mas espiritualmente me trazia uma mà sorte , zica, urucubaca, jetatura. Enfim, tantos sinonimos para denominar essa camisa.

Uma vez em 2007 ganhei uma camisa usada pelo goleiro Julio Cesar ( ou Julio Chester como voce preferir ) e o manto era realmente lindo.Era aquela com a estrela no meio da camisa que foi tambem usada pelo goleiro uruguaio Castillo. Camisa branca com aquela estrela enorme no meio. Era demais !

Mesmo com um calor de 40 graus no estadio aquela camisa de goleiro com as mangas compridas e tecido grosso fazia me sentir o cara, ou seja, mesmo todo suado eu me sentia bem. E porque eu me sentia o cara ? Era uma camisa que poucos tinham, na segunda metade de 2007 e primeira metade da temporada 2008 eu ia aos jogos e as pessoas perguntavam aonde eu tinha comprado aquela camisa,era incrivel como as pessoas me paravam para dizer o quanto era bonita e aonde eu tinha comprado. Era como dizia o ex jogador Edno, uma “reliquia”

Mesmo me sentindo bastante estiloso, o fato é que uma camisa usada por Julio Cesar era um grande presente de grego e seus frangos foram cruciais para eu começar a ter um pé atras com aquela camisa. Como gloriosos atletas que a vestiram vale a recordaçao : Roger, Marcos Leandro, Castillo e Julio Cesar. Ou seja, so a nata. Mas o principal problema nao eram os atletas que a usaram, o que realmente importa e que me fez escrever esse conto é que eu perdia todos os jogos em que a vestia. mas todos, era incrivel, uma zica tremenda.Foram varios jogos seja no estadio seja no bar, bastava vestir a capa do satanàs ( como eu chamava ) que o Botafogo perdia.

Abandonei de vez e deixei para minha coleçao,fiquei mais de um ano sem enconstar naquela camisa, ficou ate um pouco amarela, aquele amarelado de fechada no armario por muito tempo. Quando arrumei minhas malas para estudar ingles em Dublin tive a brilhante ideia de levar aquele manto maldito na bagagem. pensei : Um lugar frio, porque nao ? talvez a camisa de manga comprida pode ser uma boa.Mas nao foi bem assim.

Na primeira vez em que a coloquei fui ao supermercado fazer umas compras, fazia um frio, tinha nevado por toda a semana. Tinha que se segurar nos postes para nao escorregar, e nas partes com maior concentraçao de neve, ela ia ate metade das canelas. Coloquei ela por baixo do casaco.Voltando do supermercado passei por uma rua que tinha aqueles conjuntos habitacionais populares que eram frequentados pelos temiveis ” Knackers”. eram os habitantes desses predios que ficavam pelas ruas vagabundeando e que tinham um temperamento totalmente racista. Eles viam um estrangeiro de longe, tinham um faro incrivel. E foi so me virem passando com minhas maos cheias de sacolas de supermercado que começaram me alvejar de bolas de neves e xingamentos. cheguei em casa em choque, fui atacado pela gang. Mas nao coloquei a culpa na camisa.Estava por baixo do casaco. Eis que chega a minha primeira partida do Fogao assistida em um pub em territorio estrangeiro e obviamente nao pensei duas vezes e a coloquei. Nao fazia mais tanto frio, coloquei aquela camisa linda amarelada de guardada sem nenhum casaco por cima e fui para a rua como se estivesse indo para o estadio.Tinha certeza que ia fazer sucesso no meio da brasileirada que morava ali. La estava eu pelas ruas do centro de Dublin com aquela estrela enorme estampada na camisa.Eu era o cara !

Cheguei no pub para assistir Botafogo x Vasco.O resultado ? 6 x 0 pro Vasco.E o final da historia é que o presente do Julio Cesar foi parar em uma lixeira de Dublin. Camisa dada por jogador meia boca ? Nunca Mais. e eu termino a historia dizendo o obvio:

Nunca venci com aquela camisa

Artigo anteriorBotafogo é o segundo time mais jovem do Campeonato Brasileiro
Próximo artigoSenhor Botafogo
Avatar
Carioca nascido em 1986, vibrei e sofri muito com o nosso Glorioso. Minha primeira ida ao ex maior do mundo foi Botafogo x Penarol em 1993 e minha maior tristeza foi o tri vice para a Urubuzada. estar nas finais de 2007/2008/2009 nas cadeiras brancas rodeado de Flamenguistas que me sacaneavam por 3 anos seguidos foi um verdadeiro terror psicologico. Estudante de Publicidade & Marketing migrei para Europa no fim de 2009 para me aventurar em outras terras e nao voltei até hoje. Morei em Dublin/Londres/Amsterdam/ Sicilia/ Florença/ Turim até colocar minha raiz em Milao. Trabalho como Restaurant Manager e assistir o Fogao de madrugada na internet as vezes é uma prova de fogo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui