Fora da realidade que se desenha para 2021, Botafogo busca acordo para saída de Salomon Kalou

0
120
Kalou viaja para França
Foto: Vítor Silva/Botafogo

Botafogo e Salomon Kalou devem encerrar a relação após o fim do Campeonato Brasileiro. Pelo menos esse é o desejo do clube, que busca um acordo com o jogador que não se enquadra na realidade que espera a equipe em 2021. Apesar de ter contrato até o fim do ano com o atacante, o Bota tem interesse que os moldes do vínculo sejam alterados para rescisão do contrato, negociação ou redução salarial. 

O contrato entre as partes tem uma cláusula que prevê a rescisão ao fim do Brasileirão, no dia 28 de fevereiro. Mas o escape é permitido apenas a Kalou, caso tenha outras propostas ou o desejo de sair. A princípio, o comitê de futebol tinha divulgado que o Botafogo também poderia rescindir.

Kalou tem hoje, com folga, o maior salário do elenco botafoguense. Com o iminente rebaixamento para a Série B e a consequente queda de receitas, o clube não terá condições de arcar com os compromissos. Até por isso, a saída do marfinense seria interessante para ambos os lados. A conversa do Botafogo com o agente do atacante deixará claro que, no modelo atual, Kalou não terá garantia de salários pagos no time alvinegro. 

Pessoas próximas ao jogador dizem que não é do interesse dele prejudicar o Botafogo, e a tendência é de que haja um acordo para a saída do marfinense. Clube e representante de Kalou devem começar a discutir o futuro do camisa 8 na primeira quinzena de fevereiro. 

Retorno técnico longe do esperado

Além da questão financeira, a parte técnica também pesa para o fim da relação. Contratado em julho passado, Kalou está longe de corresponder às expectativas dentro e fora de campo. Ensaiou boas atuações nas partidas iniciais, mas não manteve o nível esperado e acabou virando reserva no Botafogo. São 25 jogos com a camisa alvinegra (12 como titular) e apenas um gol marcado. 

Kalou não corresponde às expectativas e pode deixar Botafogo ao fim do Brasileirão — Foto: Sergio Moraes/REUTERS

Kalou não corresponde às expectativas e pode deixar Botafogo ao fim do Brasileirão — Foto: Sergio Moraes/REUTERS 

Sob o comando de Eduardo Barroca, Kalou foi titular em três jogos, entrou em outras cinco oportunidades e não participou de duas partidas. O retorno técnico está muito aquém do investimento financeiro, como analisa o comentarista Raphael Resende. 

– O Kalou é inexplicável, se falarmos do combo custo-benefício. É o mais caro do elenco e, pelo valor gasto, deveria ser uma referência técnica indiscutível, não um jogador relegado a segundo plano. Acho que tanto ele como o Honda foram contratações equivocadas, porque iludem o torcedor no discurso sem acrescentar na mesma medida no dia a dia, incensados pelo amadorismo nas decisões, claro. 

Raphael opina ainda sobre o melhor posicionamento para o marfinense e lembra um dos jogos mais marcantes de Kalou pelo Botafogo, a derrota por 3 a 2 para o Vasco, pela décima rodada do Brasileirão. O atacante entrou no intervalo, deu gás ao time e indicou que poderia ser importante para ao longo da competição nacional. Nos quatro meses seguintes, não repetiu a atuação. 

– Acho que o Kalou por dentro não acrescenta por não ter o jogo curto, fica encaixotado e não consegue sair. Imagino ele sendo minimamente útil em partes dos jogos, atuando pela esquerda. Principalmente se o Barroca fizer um trabalho de posse dentro do campo adversário, como está acostumado. O Kalou não precisaria fazer o corredor o tempo todo até a própria linha de fundo e poderia levar vantagem em algumas situações de um contra um, como vimos naquela derrota pro Vasco, por 45 minutos – avaliou o comentarista. 

Se com Keisuke Honda, que pediu para deixar o clube em dezembro passado, o Botafogo conseguiu visibilidade e um retorno financeiro fora das quatro linhas, com Salomon Kalou a mesma receita azedou. O marfinense não entregou futebol e ficou longe de causar alvoroço na mídia e na torcida. A estratégia, na opinião da comentarista Renata Mendonça, falhou. 

– Acho que não foi uma boa estratégia trazê-lo. É um jogador excelente, ninguém discute sua qualidade, mas para um time que estava sendo montado pra jogar no contra-ataque, o Botafogo precisava investir mais em atacantes de velocidade. Ainda mais considerando que era provável que não conseguisse manter seus jovens talentos no time – como aconteceu com a venda precoce de Luis Henrique. Pensando no estilo de jogo possível de se jogar com o elenco que estava sendo montado, o Kalou não era o melhor investimento a se fazer – considerou Renata. 

O entendimento é de que faltou uma análise criteriosa do Botafogo ao realizar a contratação. Fora as dificuldades de arrecadação de receitas impostas pela pandemia de Covid-19, o histórico recente do atleta não era animador. Apesar da qualidade técnica, o atacante de 35 anos havia entrado em campo pela última vez no dia 30 de novembro de 2019, pelo Hertha Berlim. Estreou pelo Bota mais de nove meses depois, no dia 2 de setembro de 2020, contra o Coritiba. 

A última participação de Kalou no Botafogo foi no dia 20 de janeiro, na derrota por 3 a 1 para o Atlético-GO. O atacante entrou aos 37 do segundo tempo e terminou o jogo com três passes e uma cabeçada perigosa ao gol. O marfinense não é cotado para ser titular contra o Palmeiras, às 16h desta terça-feira, no Allianz Parque, pela 33ª rodada.

Fonte: ge

FalaGlorioso.Club | Loja com mais de 100 Produtos do Botafogo. Acesse!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui