HISTÓRIA DOS CAMPOS E ESTÁDIOS DO FUTEBOL DO BOTAFOGO (SEGUNDA PARTE)

2
607

ADHEMAR BEBIANO ACIONA A CHAVE DOS REFLETORES, ACIONANDO A NOVA ILUMINAÇÃO DE GENERAL SEVERIANO, OBSERVADO PELO PRESIDENTE CARLITO ROCHA

Após a inauguração do Estádio de General Severiano, ampliação do nosso estádio ali localizado desde 1913, o Botafogo teve tardes memoráveis de seu apaixonado público lotando as arquibancadas e a social daquela bonita praça de esportes para ver o Glorioso jogar e onde havia uma pista de Atletismo que sediava grandes competições nas quais brilhavam os grandes atletas do esporte base, no masculino e no feminino.

Em 1934, houve o primeiro Campeonato conquistado pelo Glorioso com a final em General Severiano, quando, no jogo final, a equipe alvinegra venceu o Andaraí por 2×1, em 02 de dezembro daquele ano e conquistando o terceiro campeonato do Tetracampeonato (32/35).

Em 29 de maio de 1948, sob o comando do Presidente Carlito Rocha (1948/1951), houve a cerimônia de inauguração da nova iluminação do estádio, obra que foi decidida e realizada na administração do Presidente Adhemar Bebiano (1944-1946).

Antes da partida amistosa em que o Botafogo enfrentaria o Atlético Paranaense, jogo que terminou empatado em 0x0, o Presidente Carlito Rocha foi buscar o Grande Benemérito Adhemar Bebiano, que modestamente se ocultara na geral, para oficialmente ligar as chaves, inaugurando a iluminação. Houve uma grande chuva de fogos de artifício para marcar o evento.

Dois detalhes importantes nessa memorável noite: estreou em nossa equipe o jovem Egidio Landolfi, o Paraguaio, que seria nosso ponta-direita por muitos anos e houve a sentimental despedida de Heleno de Freitas, que havia solicitado sua transferência para o Boca Juniors, de Buenos Aires, deixando o clube de sua paixão, que defendera com bravura e amor por dez anos.

Após uma campanha espetacular, em 12 dezembro de 1948, com 17 vitórias, 2 empates e 1 derrota, o GLORIOSO DA ESTRELA SOLITÁRIA conquistou em General Severiano o Campeonato Carioca daquele ano, vencendo o Vasco da Gama, por 3×1.

O TIME CAMPEÃO

A conquista do título de Campeão Carioca, em 1948, foi um verdadeiro delírio alvinegro, com o mascote Biriba acompanhando o time na entrada em campo e participando das comemorações no gramado, ele que fora o grande “talismã” escolhido por Carlito Rocha para acompanhar o time botafoguense em todas as partidas.

BIRIBA E A MISS BOTAFOGO LOGO APÓS A CONQUISTA DO TÍTULO DE 48
BIRIBA PUXA O MEIÃO DE NILTON SANTOS, LOGO APÓS A GRANDE CONQUISTA DE 48

Após a inauguração do Maracanã em 1950, o Botafogo passou a jogar no “Maior do Mundo”, mas durante as décadas de 1950 e 1960, não deixou de atuar em General Severiano, tendo atuado ali, inclusive nas conquistas dos Campeonatos Cariocas de 1957, 1962, 1967 e 1968. Na conquista do Campeonato Carioca de 1961 nossa equipe não disputou partidas em seu estádio.

O Botafogo disputou diversas partidas amistosas nacionais e internacionais em General Severiano, recebendo várias equipes brasileiras, europeias e das Américas, inclusive sediando torneios amistosos internacionais.

O estádio também foi palco da abertura e encerramento das extraordinárias Olimpíadas Botafoguenses nas décadas de 1950 e 1960, que anualmente eram organizadas pelo Clube, com a participação de atletas, ex-atletas e sócios, dividindo-se por faixas etárias na disputa de esportes praticados pelo Botafogo e até esportes que não eram praticados pelo BFR. Algumas modalidades eram disputadas no gramado e na pista de Atletismo. “Estrela Solitária” e “Glorioso” eram as duas grandes equipes que os participantes integravam.

ABERTURA DAS 1as.OLÍMPIADAS EM 1957

Após 1968, com a cada vez maior preponderância do Maracanã como palco dos jogos dos grandes clubes do Rio de Janeiro, o time profissional do Botafogo pouco atuou em General Severiano, sendo que em 1974 houve o último jogo da equipe profissional no seu estádio.

Em 30 de novembro de 1974, o time profissional do Botafogo entrou em campo para aquela que seria a sua última partida oficial no Estádio Mais Bonito do Brasil. O jogo foi contra o Madureira, pelo Campeonato Carioca daquele ano e o placar final foi o empate em 2×2.

Nilson Dias marcou o segundo e último gol do time profissional Alvinegro em General Severiano.

NILSON DIAS EM AÇÃO NO ÚLTIMO JOGO DOS PROFISSIONAIS EM GENERAL SEVERIANO
ARQUIBANCADA DE GENERAL SEVERIANO

Nossa equipe de futebol juvenil atuou ali até o ano de 1975, principalmente aos domingos pela manhã.

GENERAL SEVERIANO ANTES DA VENDA

Com a venda do patrimônio de General Severiano no início de 1976, o estádio foi demolido e após incorporar o Sport Club União, clube de Marechal Hermes, o Botafogo inaugurou o “estádio Glorioso de Marechal Hermes”, em 22 de outubro de 1978, vencendo a Portuguesa, pelo Campeonato Carioca por 2×1, tendo o atacante Dé assinalado o primeiro gol do estádio, para um público presente de 19.211 pessoas. Posteriormente o estádio passou a ser denominado “Mané Garrincha”.

INAUGURAÇÃO DO ESTÁDIO DE MARECHAL HERMES

A última partida oficial realizada naquele estádio foi em 22/7/1986, pelo Campeonato Carioca, com a vitória do Botafogo sobre o Goytacaz, de Campos dos Goytacazes, por 1×0.

No ano de 1987 o Botafogo passou a ter o Estádio de Caio Martins, em Niterói, com capacidade para 12.000 pessoas. O estádio foi a casa do Glorioso nas conquistas do Bicampeonato Estadual de 1989/1990, Copa Conmebol de 1993, Campeonato Brasileiro de 1995. Na Taça Cidade Maravilhosa de 1996, nossa equipe foi mandante de seus jogos somente no Maracanã.

ESTÁDIO CAIO MARTINS

O estádio recebeu uma grande reforma em 2003, chegando a ter capacidade para 15.000 pessoas, divididas entre arquibancadas e tubulares, cadeiras vips e camarotes, com a instalação de um moderno painel eletrônico.

Foi a “casa” do futebol do Glorioso até 12 de dezembro de 2004, sendo que em 2005, a equipe profissional passou a atuar como mandante de seus jogos na Arena Petrobras, em parceria com o Flamengo, no estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador, pertencente à Portuguesa.

Em 2006, quando o Botafogo se sagrou Campeão da Taça Guanabara e Campeão Estadual, o mando de campo alvinegro foi predominantemente no Maracanã, assim como em 2007, quando levantou a Taça Rio.

Construído para os Jogos Pan-Americanos de 2007, o Estádio Nilton Santos foi erguido pela prefeitura no antigo terreno da Rede Ferroviária Federal, na Rua José dos Reis, no bairro do Engenho de Dentro, Zona Norte do Rio de Janeiro.

ESTÁDIO NILTON SANTOS DE DIA

Foi inaugurado em 30 de junho de 2007, com a vitória do Botafogo sobre o Fluminense por 2×1, em jogo do Campeonato Brasileiro, tendo Dodô assinalado os dois gols alvinegros. O jogo teve um público de 43.810 espectadores, sendo que a capacidade total de público é de 44.661 pessoas.  É considerado o mais moderno da América Latina e o quinto mais moderno do mundo.

Ainda em 2007, o Botafogo venceu a licitação realizada pela Prefeitura. O clube, então, passou a mandar seus jogos no local, além de administrá-lo.

Em 2008, o Botafogo conquistou a Copa Peregrino o seu primeiro título no estádio e, no último jogo venceu por 4×0 a equipe norueguesa do Viking (o Torneio foi disputado entre clubes brasileiros e noruegueses). O troféu foi entregue na partida seguinte, contra o Resende, válida pelo Campeonato Estadual, que era disputado pela primeira vez no estádio.

VISÃO NOTURNA DO ESTÁDIO NILTON SANTOS

Em 2015, a pedido do Glorioso da Estrela Solitária, o nome foi alterado para Estádio Nilton Santos, em homenagem ao nosso grande ídolo, conhecido como Enciclopédia do Futebol. Em 2017, o nome oficial passou a ser “Estádio Olímpico Nilton Santos”.

Em 2013 houve uma polêmica interdição do estádio por parte da Prefeitura do Rio de Janeiro e o Botafogo somente conseguiu voltar a utilizá-lo em 2015, com liberação parcial, sendo que a liberação total se deu em 2017. No ano de 2016 o Botafogo arrendou o Estádio Luso-Brasileiro da Portuguesa, tendo sua equipe atuado ali até a liberação parcial do estádio Nilton Santos.

Ainda em 2013, foram inauguradas as estátuas de Garrincha, Nilton Santos, Jairzinho e Zagalo na entrada Oeste do Estádio Nilton Santos.

Além do campo de futebol com grama natural, com dimensões de 105m x 68m, o estádio conta com uma pista de Atletismo, um campo anexo destinado a treinamentos e uma pista de Atletismo interna para aquecimento.

O Estádio Nilton Santos atualmente tem capacidade para 46.000 pessoas e foi o principal equipamento para os Jogos Olímpicos de 2016.

Tendo o Estádio Nilton Santos como sua “casa”, o Botafogo conquistou a Taça Guanabara (2009 e 2015), a Taça Rio (2008, 2010, 2012 e 2013), o Campeonato Estadual (2010, 2013 e 2018) e o Campeonato Brasileiro da Série B em 2015.

Por: Luiz Felipe Carneiro de Miranda
Grande Benemérito, Historiador e Curador do Centro de Memória do Botafogo.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui