Imbatível em casa, inconstante fora dela: Botafogo tem início de extremos na Série B

0
98

Aproveitamento de 100% em casa, mas fora dela um jejum de vitórias ainda a ser quebrado. A “bipolaridade” do Botafogo no início da Série B do Brasileirão explica a nona colocação na tabela e a diferença de cinco pontos para o G-4 nesse início de campeonato.

Como mandante, o Bota foi impecável até aqui. Jogou três jogos e venceu os três, contra Coritiba, Remo e Vitória. Marcou seis gols e não levou nenhum. São esses nove pontos que mantêm o time no meio da tabela, cinco acima da zona de rebaixamento.

Como mandante

  • 3 jogos
  • 3 vitórias
  • 6 gols marcados
  • 0 gol sofrido

Os tropeços foram todos fora de casa. Em seis partidas, o time de Marcelo Chamusca acumulou três derrotas e três empates. Marcou os mesmos seis gols, só que sofreu outros 11. A defesa foi vazada em todas as partidas longe do Rio de Janeiro. É o que faz a equipe somar apenas 12 dos 27 pontos em disputa.

Como visitante

  • 6 jogos
  • 3 empates
  • 3 derrotas
  • 6 gols marcados
  • 11 gols sofridos

Padrão e diferença em números

Os números que importam – gols, vitórias, derrotas – explicam os resultados insatisfatórios do Botafogo nesta Série B. Acontece que outras estatísticas, de desempenho, apontam alguns padrões no jogo alvinegro, independentemente de mando de campo.

Por exemplo, o time tem índices praticamente idênticos de posse de bola e finalizações como mandante e como visitante. Em casa, a média é de 47% de posse e 13 arremates. Fora, são 49% de posse e a mesma média de 13 conclusões. Outro número que se mantém é o maior quantidade de oportunidades criadas em relação ao adversário, seja como mandante ou visitante.

– A gente precisa transformar esse controle no campo do adversário, que tem sido uma tônica em todos os jogos, em resultado efetivo. É isso o que a gente precisa melhorar para ter melhores resultados – definiu o técnico Chamusca.

Outros dados seguem a mesma linha, como a quantidade e a precisão dos passes e o número de roubadas de bola. Estatísticas que estão ligadas à estratégia de jogo, que tem seguido um padrão, mas mostrou até agora muito menos eficiência longe do Rio.

Eficiência que está menos ligada ao ataque e mais à defesa. Tudo bem que média de gols marcados pelo Botafogo cai nos jogos fora de casa. Só que a grande mudança é o número de gols sofridos: 11. Os números mostram que, quando joga como visitante, o Botafogo deixa o adversário chegar mais ao ataque e Douglas Borges é obrigado a fazer mais defesas.

Depois de dois jogos longe do Rio, sem vitórias, o Botafogo volta para casa na próxima rodada da Série B. O adversário será o Cruzeiro, no sábado, às 16h30 (de Brasília), no Nilton Santos.

Fonte: ge

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui