Integração com a base e reforço “promissor” têm destaque na reapresentação do Botafogo

0
678

Paulo Autuori, técnico do profissional, e Marcos Soares, comandante do sub-20, trabalharam juntos na reapresentação do Botafogo no último sábado. Pelo menos oito atletas da base se juntaram ao elenco principal no campo anexo do Estádio Nilton Santos para o retorno das atividades.

A integração entre base e profissional, um compromisso do clube, tornou-se mais evidente com a chegada de Paulo Autuori, que não faz separação entre as categorias ao usar o termo “futebol do Botafogo” para se referir a todos os times.

O treinador retomou os treinos com dois jogadores integrados de vez ao time principal: o zagueiro David Sousa subiu para suprir o espaço deixado por Joel Carli, enquanto a joia Matheus Nascimento, que assinou há alguns dias seu primeiro contrato profissional, passará a treinar com Autuori, podendo ser cedido para os jogos das categorias inferiores. O jovem ainda aguarda resultados de exames físicos para se juntar ao grupo.

Outras novidades da base na reapresentação do Botafogo: o goleiro Andrew; o zagueiro Wesley; os volantes Wendell, Michel e Romildo (volante); e os atacantes Ênio, Vitinho e Marquinhos.

– O Botafogo já tem um movimento de integração no futebol. Não é futebol profissional e de base, mas o futebol do Botafogo. O Autuori vem praticando isso, aproximando. Já participou de lives do time sub-20, quer saber das coisas, recebe relatórios… Ele não tem esse discurso, ele pratica isso – elogiou o gerente geral da base do Botafogo, Tiano Gomes.

Reforço “promissor”

Além dos atletas da base, outra cara nova apareceu no Nilton Santos: o atacante Matheus Babi, ex-Macaé, realizou exames médicos complementares para assinar com o clube até 31 de dezembro de 2021. Ele é o 13º reforço do Botafogo para a temporada, sendo que uma das contratações, o volante Thiaguinho, já deixou o time.

O GloboEsporte.com ouviu o repórter Gustavo Garcia, que trabalha na cobertura do Macaé e elencou algumas características de Matheus Babi. Na opinião do jornalista, a chegada do atacante é um bom investimento do Botafogo. Veja abaixo.

É um jogador “alto”, de área, mas que também já mostrou que sabe se movimentar nas atuações pelo Macaé. Ele virou xodó da torcida e foi apelidado até mesmo de “Babigol” pela intimidade com as redes, em uma referência ao Gabigol, do Flamengo. É um jogador de 22 anos, que já teve uma experiência na base do Grêmio quando tinha 18. Ele foi chamado pelo time de Porto Alegre depois de se destacar com muitos gols no Carioca sub-20 de 2016. Acabou não ficando.

Como disse anteriormente, é uma aposta, que chega de um pequeno sem grandes custos. Ele já mostrou que tem intimidade com as redes pelo time do Norte Fluminense, mas atuando em uma Série A a situação é diferente. Tivemos exemplos nos últimos anos de jogadores que não deram certo nessa transição de pequeno para grande após estadual. Mas acredito que, se tiver oportunidade, pode acabar encontrando no Botafogo a chance da carreira.

Não o vejo como um grande craque, não o vejo como um jogador que chega para mudar totalmente o panorama do Botafogo, mas acho um bom jogador, uma boa escolha dentro da forma que está sendo contratado e que pode dar muito certo nesse casamento com o time alvinegro. Gols ele já mostrou que sabe fazer. Basta saber como será aproveitado” – Gustavo Garcia, repórter do GloboEsporte.com.

Fonte: GE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui