Mais que três pontos: crises de Botafogo e Flamengo transformam clássico em decisão

0
72

Com apenas o Campeonato Brasileiro para disputar nesta temporada, Botafogo e Flamengo entram em campo no próximo sábado com objetivos opostos e sabendo que vencer daqui pra frente pode garantir o futuro dos dois clubes. Enquanto os alvinegros tentam uma recuperação para deixar a zona de rebaixamento, os rubro-negros buscam a liderança. A bola rola às 17h (de Brasília), no Nilton Santos.

Crise e futuro em risco

Em meio a uma grave crise financeira, o Botafogo sobrevive até o momento em 2020 devido a ajuda dos chamados “torcedores ilustres”. Além de empréstimos para quitar contas básicas, como água e luz, o clube por vezes não consegue bancar a realização de jogos tanto da base quanto do profissional. 

A grande esperança está na concretização da S/A, que caminha sem data para ser colocada em prática. O entendimento interno é de que a transformação do clube em empresa depende muito da permanência na Série A. 

Antes de pensar nos planos para o futuro, o Botafogo tem que focar no agora. O orçamento de 2021 pode ficar comprometido e afundar ainda mais o clube na crise administrativa caso o rebaixamento não seja evitado, até porque os dirigentes contam com a verba de direitos de transmissão, por exemplo.

Em penúltimo lugar com 20 pontos, o Botafogo está a cinco de deixar a zona de rebaixamento e necessita mais do que o dobro de vitórias que alcançou no primeiro turno para se salvar nas 16 partidas que restam. Por isso, uma reação já no clássico é fundamental. 

De volta ao Botafogo, Eduardo Barroca contraiu Covid-19 na primeira semana de treinos — Foto: Gabriel Baron/Botafogo

De volta ao Botafogo, Eduardo Barroca contraiu Covid-19 na primeira semana de treinos — Foto: Gabriel Baron/Botafogo 

O Botafogo não vence há sete rodadas no Brasileirão e, entre os inúmeros desafios para buscar a vitória no sábado, está a mudança de técnico. Depois de três jogos com a comissão de Ramón Díaz, o Botafogo decidiu pela saída do argentino e retorno de Eduardo Barroca, que havia treinado a equipe em 2019.

No início de sua primeira semana de treinos com o elenco, o comandante testou positivo para Covid-19 e não estará à beira do campo. Apesar de conhecer o clube e grande parte do elenco, Barroca não teve a oportunidade de orientar seus jogadores de perto antes do confronto decisivo com o Flamengo. 

A pressão ultrapassa os muros de General Severiano. Torcedores têm feito protestos e cobranças ao elenco por uma recuperação no campeonato. Em conversa com atletas e dirigentes nesta semana, eles colocaram uma vitória contra o Flamengo como crucial tendo em vista as eliminações recentes do rival. 

É só o que restou

No Flamengo, o Campeonato Brasileiro é só o que restou. Em menos de duas semanas a equipe deu adeus à Copa do Brasil, eliminado pelo São Paulo nas quartas de final, e à Libertadores da América, desclassificado pelo Racing nos pênaltis nas oitavas na última terça-feira. A única chance de título pela frente na temporada, portanto, está no Brasileirão. 

Vale lembrar que o Flamengo já conquistou três títulos em 2020: Supercopa do Brasil, Recopa Sul-Americana e Campeonato Carioca. Mas todos esses tiveram a cara do trabalho do ano passado, pois ainda foram sob as rédeas do técnico Jorge Jesus. Dessa forma, conquistar o Brasileirão também seria uma maneira de evitar o clima de terra arrasada que se deu após a saída do português, com direito a passagem relâmpago de Domènec Torrent e duas eliminações em competições mata-mata.

As eliminações provocaram prejuízos aos cofres rubro-negros, que podem influenciar no planejamento para 2021, como a renovação com o goleiro Diego Alves e a compra do atacante Pedro. O clube ainda tem que pagar a rescisão do técnico Domènec Torrent. 

Compra do atacante Pedro é uma pendência que o Flamengo tem para 2021 — Foto: André Durão/ge

Compra do atacante Pedro é uma pendência que o Flamengo tem para 2021 — Foto: André Durão/ge 

Por outro lado, existe a percepção de que, se há algum lado positivo nessas quedas precoces, é o fato de que o Flamengo terá tempo para trabalhar daqui para frente e poderá concentrar suas forças no Brasileirão. Tempo é algo que o time praticamente não teve até o momento e é o que pode ajudar o técnico Rogério Ceni neste início de trabalho. 

A equipe terá até o fim da temporada ao menos oito das chamadas semanas cheias (que são as semanas sem jogos no meio). O número total depende da remarcação do jogo contra o Grêmio, adiado no último fim de semana. Além disso, os próximos três compromissos do Flamengo serão no Rio de Janeiro: depois de fazer o clássico contra o Botafogo, o time enfrenta Santos e Bahia no Maracanã. 

O Flamengo ocupa no momento a terceira colocação do Brasileirão, com 39 pontos: está a três do vice-líder Atlético-MG – o Galo tem um jogo a mais – e a cinco do líder São Paulo, que tem as mesmas 22 partidas disputadas.

Fonte: ge

FalaGlorioso.Club | Loja com mais de 100 Produtos do Botafogo. Acesse!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui