Marcinho quer nova chance no Botafogo e reconhece que está devendo: “Faltou muito da minha parte”

0
39
MARCINHO

Nos 16 jogos que tem pelo Botafogo – 12 deles no Carioca – Marcinho sabe que não conseguiu entregar tudo que tem. Com apenas duas partidas na Série B pelo clube carioca, o atacante foi emprestado pelo Vitória. Justamente por ter ficado pouco tempo no Nilton Santos no primeiro dos dois anos de contrato que tem, Marcinho tem ciência que tem mais a entregar. Em entrevista ao ge, o atacante mostrou que sabe que pode mostrar mais.

– Não gosto de ficar transferindo responsabilidade, não. Acho que tive algumas oportunidades, individualmente falando eu não respondi, só que também depende muito do time. Até porque logo que eu saí, o time começou a ganhar e melhorou muito em conjunto e, consequentemente, apareceu a individualidade de cada um. Eu assumo minha responsabilidade também. Acho que também faltou muito da minha parte. Mas ao mesmo tempo… a gente não conseguiu fazer um bom Carioca e ainda fomos eliminados da Copa do Brasil, aí pesou mais ainda.

Se no Botafogo não foi bem, no Vitória a coisa foi diferente. Apesar do time baiano ter caído para a Série C, Marcinho teve um bom desempenho, o que agradou o departamento de futebol do clube. Segundo o jogador, há o interesse dele de ficar para mostrar o futebol que não conseguiu exibir com Marcelo Chamusca. De férias em Goiânia com a família, Marcinho agora aguarda.

– Teve uma reunião do Freeland com meu empresário. O que ele me passou é que a diretoria do Botafogo tinha gostado do meu desempenho no segundo turno no Vitória. Eu participei de 12 gols lá, fiz cinco e o resto foi em assistência. E foi importante para mim também, sabe? Dentro disso apareceram algumas propostas de Série A e Série B. O pessoal do Botafogo me deixou bem à vontade para decidir.

– Eu gostaria muito que o Enderson contasse comigo no retorno, porque eu tenho vontade de demonstrar. Acho que tenho meu valor e tinha condições de demonstrar alguma coisa porque o Botafogo é um clube gigante. Mas é uma decisão que não parte de mim. Tem que decidir em conjunto. A gente tem até o começo do ano para poder decidir. E é mais ou menos isso. Acho que tem que aguardar para ver o que tem para acontecer neste resto de ano para tomar as decisões em conjunto.

De acordo com Marcinho, o que deu certo no Vitória foi a sequência que teve por lá. Quando chegou em Salvador, o atacante pôde jogar mais vezes, o resultou num ciclo vicioso positivo de sequência, confiança e oportunidade. Mas antes de ir para a Bahia, Marcinho já se sentia bem fisicamente. Ele conversou com Enderson Moreira, que diz ter gostado dele nos treinos, mas que não daria tanta oportunidade no início da passagem.

– No tempo que eu fiquei sem jogar no Botafogo eu vinha treinando bem. O próprio Enderson pegou uma parte minha ali e tivemos uma conversa individual. Ele falou: “Marcinho, sua situação hoje no clube é um pouco delicada, não posso falar que vou te colocar agora, mas gosto muito de você, tem treinado muito bem. Então é uma decisão sua de sair ou não”. Eu já estava treinando bem, estava empolgado para poder jogar. Só que eu não podia esperar pra ficar ali e acontecer de eu não jogar e perder o ano. Porque já tinha a questão de a diretoria não querer que eu ficasse tanto.

Fonte: ge

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui