Mauro Cezar pede calma ao Botafogo com SAF e venda por R$ 400 milhões: ‘Cura não é tão rápida e instantânea’

0
73
COVID

O comentarista Mauro Cezar Pereira pediu paciência para o Botafogo e Cruzeiro após compra de investidores por R$ 400 milhões, nesta terça-feira, em seu canal no YouTube. O jornalista aproveitou para alertar que “a cura não é tão rápida e instantânea” para aliviar a situação financeira dos clubes.

“É um sopro de esperança para botafoguenses e cruzeirenses. Mas esse dinheiro não vem de uma vez só, o aporte chega em parcelas. Parte desse dinheiro é para abater dívidas dos clubes, não fica limpo para contratar jogadores. Com R$ 400 milhões você imagina contratar que jogador? Dá para contratar bons jogadores? Dá. Mas no Cruzeiro estão cortando gastos, colocando em orçamento real. Não tem festa nem sinal de farra. É organizar financeiramente, colocar pingo nos is, para dar um passo de cada vez. O torcedor imagina que vai chegar investidor e colocar um timaço em campo, mas não é o que deve acontecer, não é instantâneo”, alertou o comentarista Mauro Cezar.

“R$ 400 milhões é muito dinheiro? Digamos que chegasse metade dessa grana a Botafogo e Cruzeiro. Você sabe quanto custaram Pedro e Gabigol ao Flamengo? Aproximadamente R$ 190 milhões, que é a metade do dinheiro inicial da aquisição desses clubes. Mostra que a régua dos clubes mais fortes, de mais investimento, está lá no alto. É preciso ter pés no chão e entender que a recuperação é aos poucos”, completou.

Além disso, o comentarista aproveitou para comparar a situação financeira do Crystal Palace, da Inglaterra, que também pertence ao fundo do investidor americano John Textor, o mesmo que injetou os R$ 400 milhões no Botafogo.

“Há investidores na Inglaterra que transformaram o Chelsea, time médio, num dos times mais fortes, duas vezes campeão europeu e várias vezes campeão inglês. Outros clubes não têm investimentos tão altos. Como o próprio Crystal Palace, do qual o John Textor é dono de parte das ações. Era um time pequeno de Londres, se firmou, hoje pode ser visto como médio, não briga por título, mas por meio da tabela e não ter risco de rebaixamento. Vai ter que ver lá na frente como o investidor enxerga o clube”, disse o jornalista Mauro Cezar.

Fonte: O Dia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui