Novo CT ainda está na primeira etapa das obras, e conclusão deve ficar a cargo da Botafogo S/A

0
562

Na luta do Botafogo pelo centro de treinamentos, a quase paralisação do país devido à pandemia do novo coronavírus é um dos obstáculos, mas está longe de ser o único. O Alvinegro toca as obras (ainda nas etapas iniciais) com os poucos recursos que restam e espera pelos recursos da Botafogo S/A para poder concluir o projeto.

Em meados de 2019, o Botafogo trabalhava com a possibilidade de transferência das categorias de base para o novo CT, em Vargem Grande, já no início deste ano. Depois, a previsão para o fim das obras nos campos passou a ser maio de 2020. Por fim, o clube divulgou recentemente que a primeira etapa só será finalizada em agosto.

A nota divulgada pelo Botafogo na última semana deu conta ainda de que apenas três campos ficarão prontos nesse prazo. Antes, falava-se no preparo dos seis campos, que são divididos em duas áreas.

Ou seja, as obras ainda estão na metade da primeira de seis etapas definidas pelo clube.

Com a compra do terreno – o Espaço Lonier – foram gastos R$ 20 milhões, pagos pelos irmãos Moreira Salles, que serão ressarcidos em um prazo de 30 anos, em 360 parcelas corrigidas pelo IPC (Índice de Preços ao Consumidor). Os empresários botafoguenses entraram ainda com outros R$ 5 milhões, que estão sendo usados para melhorias no espaço.

Os cerca de R$ 5 milhões foram empenhados em taxas, impostos, registro de escrituras, levantamentos topográficos, projeto de arquitetura, retirada e transplantio de árvores, além da construção desses campos, entre outros itens.

A tendência é que a finalização do CT, como já abordado pelo GloboEsporte.com, fique a cargo da Botafogo S/A, já que são necessários investimentos que o clube não dispõe no momento.

O projeto do CT do Botafogo é da Tecnoplano, empresa portuguesa que tem no currículo os centros de treinamento da seleção de Portugal e do Benfica. A Greenleaf é a responsável pelo preparo dos campos. O local atenderá não só aos profissionais, mas também às categorias de base, que hoje treinam em General Severiano e no Caio Martins.

O Espaço Lonier possui 200.000 m² e sua estrutura já oferecia auditório, vestiários, restaurantes, além de um hotel com 40 quartos com capacidade para receber até 180 pessoas.

Veja imagens do projeto

Fonte: GE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui