O BOTAFOGO EM GENERAL SEVERIANO (CAPÍTULO 7)

0
118
LUIS FELIPE

Em 2 de janeiro de 1948, foi empossado na Presidência do Botafogo o extraordinário Carlos Martins da Rocha, o Carlito Rocha (1948/1949)(1950/1951), que desde logo, na sua primeira reunião de Diretoria, em 7 de janeiro, enfrentou o problema das obras de iluminação do estádio, que haviam sido iniciadas na gestão do Presidente Adhemar Bebbiano (1944/1946) e se arrastavam em virtude da crise financeira que assolava o Clube, que não podia contar somente com a inestimável ajuda financeira do Dr.Bebbiano.

Carlito Rocha

No ano de 1947, o Presidente foi um banqueiro, Oswaldo Costa, que pouco apareceu no Clube, tendo um dos três Vice-Presidentes, Luiz de Paula e Silva, exercido a Presidência, de fato.

Na noite de 29 de maio de 1948 houve a festiva inauguração da moderníssima, para a época, iluminação do estádio.

O Botafogo convidou o Atlético Paranaense, para um amistoso que terminou empatado em 0x0.

Adhemar Bebbiano ocultara-se na geral do Estádio e o Presidente Carlito Rocha foi buscá-lo, para oficialmente ligara as chaves, inaugurando a iluminação.

Adhemar Bebbiano e Carlito Rocha inaugurando a nova iluminação do Estádio.

Houve uma “chuva de fogos de artifício”.

Os jogos noturnos voltavam a General Severiano.

Em 22 de novembro de 1948, enquanto o futebol profissional fazia grande campanha  no Campeonato Carioca, atendendo a pedido de sócios, o Presidente Carlito Rocha autorizou a criação da Comissão Pró-Estádio, com o objetivo de angariar fundos para o término das obras do mesmo.

A referida Comissão trabalhou com entusiasmo, mas os resultados não foram compensatórios, sendo dissolvida em 1950.

É que surgira a era do Maracanã, que começou a ser construído no final dos anos 1940 e consequentemente, o Estádio de General começava a perder a sua importância, assim como os demais, para o futebol carioca.

Voltando um pouco no tempo, em 5 de janeiro de 1940, o Presidente Sergio Darcy, assoberbado pelas suas funções no contencioso do Banco do Brasil, renunciou à Presidência do Botafogo Football Club, sem ter conseguido concluir as obras do Estádio.

No início do ao de 1941, na Presidência João Lyra Filho, que sucedeu Sergio Darcy, o Botafogo Football Club obteve, em momento angustiante, extraordinário benefício, que consolidou sua propriedade de General Severiano.

João Lyra Filho

É que, por lapso da Tesouraria, os foros (valores que são pagos pelo domínio útil de um imóvel) não foram pagos, o que ocasionaria o comisso, ou seja, a possibilidade da perda do direito ao domínio útil de General Severiano, ou o arbitramento de um novo valor para ser pago a título de foro, que certamente seria muito majorado.

Foi quando Paulo Lyra, agindo com notável dedicação e eficiência obteve do Governo Getúlio Vargas, o Decreto-lei de 21 de março de 1941, isentando o Clube de pagamento de foros e consolidando, em definitivo, a propriedade de General Severiano.

Paulo Lyra

De volta ao magnífico ano de 1948, em 12 de dezembro, General Severiano viveu o seu mais festivo dia esportivo, com a magistral conquista do Campeonato Carioca de Futebol.

Às 11:30hs, ninguém mais respirava no Estádio, totalmente lotado.

Naquela tarde, o BOTAFOGO, sob a arbitragem de Mário Vianna, se sobrepôs ao poderoso time do Vasco da Gama por 3×1, gols de Paraguaio, Braguinha e Octávio, o artilheiro do certame. O gol vascaíno foi de Ávila, contra.

Gol de Paraguaio
Gol de Braguinha
Gol de Octávio

Nosso esquadrão formou com Oswaldo, Gerson dos Santos e Nilton Santos; Rubinho, Ávila e Juvenal; Paraguaio, Geninho, Pirilo, Octávio e Braguinha.      

O time Campeão

Foram 20 jogos, 17 vitórias, 2 empates e 1 derrota. Assinalou 59 gols e teve 24 gols contra.

O querido cachorrinho Biriba, foi personagem integrante da conquista do Campeonato Carioca de 1948. Pertencia ao jogador Macaé.

Ao invadir o campo quando o adversário atacava, conquistou de forma definitiva e arrebatadora o grande coração botafoguense do supersticioso Presidente Carlito Rocha, uma das maiores figuras do Botafogo em todos os tempos, e tornou-se o mascote do time.

Carlito Rocha e Biriba

Nas comemorações pela grande conquista do Campeonato Carioca de 1948, há alguns registros marcantes, como a Social do Estádio em delírio, momentos após a conquista do título, Zezé Moreira, considerado o melhor técnico de 1948, carregado em triunfo, depois da brilhante vitória sobre o Vasco da Gama.

A Social do Estádio em delírio
O treinador Zezé Moreira carregado em triunfo

Noutra imagem, o Pato Donald comemora o título de 1948.

O Pato Donald comemora o título

Conquistado o Campeonato de 1948, o Clube engalanou-se, logo a seguir, para o Carnaval da Vitória em 1949, quando o Palacete recebeu decoração especial alusiva ao feito.

O Carnaval da Vitória em 1949 na Sede.

  Bibliografia consultada:

– Mendes de Oliveira Castro, Alceu – “O Futebol no Botafogo – 1904 a 1950” – Gráfica  Milione Ltda – 1951.

– Boletim do Botafogo (1949)

– Miranda, Luiz Felipe Carneiro de, e Pepe, Braz – “Botafogo, o Glorioso: Uma História em Preto e Branco – Edição dos Autores – 1996. 

*INCREVA-SE NO CANAL BOTAFOGO MEMÓRIA NO YOUTUBE E ASSISTA A LIVES E VÍDEOS SOBRE A MAGNÍFICA HISTÓRIA DO BOTAFOGO.

Luiz Felipe Carneiro de Miranda
Grande Benemérito e Historiador do Botafogo de Futebol e Regatas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui