Russão, uma estrela que brilha!

0
2367

Fala Glorioso!

Hoje vamos falar e relembrar um pouca da história de um ícone das arquibancadas carioca que inovou o jeito de se torcer pelo time de coração, estou falando de nada mais, nada menos que o mestre Russão que tinha o nome de batismo de João Faria da Silva um estofador de móveis que fez história e hoje é considerado uma lenda pela torcida Botafoguense.

Russão iniciou no velho Maracanã nas gerais a introduzir sua energia e paixão pelo alvinegro, isso aos 18 anos na metade da década de 60 quando fundou a torcida “Fogo-Duro” , que com alguns amigos tão fanáticos como tal, enlouqueciam aquela geral. Já em 1968 o Russão fundou a torcida organizada “Fogo-Lito” por sugestão do amigo jornaleiro Tolito e a partir daí invadiu as arquibancadas em vez da geral. Depois disso já nos anos 70, com o amigo Tarzan o fundador da Torcida Organizada do Botafogo, Russão foi diretor de bateria e ali permaneceu muito tempo até uma divisão da TOB acontecer e em setembro de 1981 fundar a Torcida Folgada e mais tarde a Torcida Folgada do Russão.

Russão trazia consigo um temperamento muito forte, fato que o faziam proporcionar situações inusitas como jogar muletas em campo, invadir o gramado e cobrar garra do time e também ter acesso à diretoria do clube que sempre que o recebia, ouvia cobranças num tom forte e as vezes áspero. Segundo relato de um de seus filhos, o Heitor, Russão durante os jogos cobrava da torcida insistentemente que cantasse os 90 minutos apoiando o Botafogo, e relatou certa vez que estava comendo um cachorro quente na arquibancada e foi surpreendido por Russão que literalmente jogou o cachorro quente fora e disse para ele voltar pra bateria da torcida ! Ainda segundo Heitor, após o jogo já calmo o Russão chegava e apaziguava a situação dando um abraço e o dinheiro para comprar outro lanche.

Outro fato que descobrimos com exclusividade ocorreu em 1992 após a primeira partida da final do campeonato brasileiro entre Botafogo x Flamengo em que o rival venceu o confronto e aconteceu o famoso churrasco que Renato Gaúcho havia oferecido a Gaúcho, atacante do Flamengo pagando assim uma aposta acerca daquele jogo. Durante a semana de véspera da segunda partida, o Russão foi avisado por telefone que Renato Gaúcho estaria na praia e imediatamente partiu para encontrar com o craque. Resultado desse encontro foi duras cobranças e uma cabeçada no craque que nem chegou a jogar a última partida daquela final.

Em 28 de fevereiro de 2012, o mestre Russão partiu para entrar de vez na galeria de ídolos da torcida Botafoguense. Seu histórico de saúde haviam o deixado muito debilitado nos últimos anos e com apenas 63 anos ele veio a falecer porém seu legado até hoje está mais vivo do que nunca e seu filho Heitor Lims refundou a torcida e hoje ela existe como Folgada Eterna.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui